22 / 06 / 2018 - as 11:27
MP denuncia grupo suspeito de torturar, decapitar e enterrar duas pessoas

Ministério Público (MP) ofereceu denúncia contra cinco homens acusados de assassinar duas pessoas no município de Parnaíba, Norte do Piauí, em 1º de março deste ano. Os corpos das vítimas foram encontrados enterrados e mutilados no quintal de uma residência onde funcionava um ponto de venda de drogas.

A promotoria fez a acusação com base nos crimes de homicídio qualificado, tortura, cárcere privado, ocultação de cadáver, vilipêndio de cadáver, inovação artificiosa do local do crime e corrupção de menor.

De acordo com a denúncia, as vítimas Paulo Henrique Lima Caldas e David Soares Maciel estavam consumindo drogas na residência e não tiveram dinheiro para pagar por todo o consumo. Por esse motivo, os acusados trancaram os dois em um quarto e começaram a torturá-los.

Paulo Henrique conseguiu sair do quarto e tentou fugir da casa, mas foi pego pelos acusados enquanto tentava pular o muro. "O que configurou um dos motivos destes para ceifar a vida da vítima", descreve a denúncia. Os autores feriram a vítima gravemente em seu pescoço e a decapitaram depois que ela estava morta, segundo o documento.

"Após matarem Paulo Henrique Lima Caldas, os denunciados [...] decidiram matar também a vítima David Soares Maciel, tendo em vista que mataram Paulo Henrique pelos mesmos motivos e para que a mesma não os entregasse à polícia, o que configurou um dos motivos destes para ceifar a vida desta vítima", narra a denúncia.

Os acusados amarraram David Maciel com cordas e o golpearam com uma faca no peito e no pescoço, chegando a decapitá-lo. Após o crime, os denunciados chegaram a “brincar” com a cabeça da vítima. “Carregava a cabeça da vítima, sorrindo e com ela brincando, passando sangue nas demais pessoas presentes no local”, segundo a denúncia.

Em seguida, os acusados enterraram os corpos das vítimas no quintal da residência. Após o ocorrido, eles fugiram do local. Vizinhos, que ouviram os gritos das vítimas vindo da casa durante a madrugada, acionaram a Polícia Militar, que foi ao local e encontrou os corpos.

300 anos de prisão

Os suspeitos foram presos pela Polícia Civil no dia 8 de março. Diante dos fatos, o MP apresentou denúncia requerendo a prisão de Luis Carlos Evangelista Guedelha, Jonas de Brito Martins, Geovane Allison Sousa, Antônio Carlos Rodrigues dos Santos Júnior, Francisco de Assis Evangelista Guedelha e ainda um adolescente, incorrido nas penas dos atos infracionais do Estatuto da Criança e do Adolescente análogos aos crimes praticados.

Somadas, as penas poderão ultrapassar 300 anos de prisão. Além disso, o MPPI pediu a fixação de dois valores a serem pagos pelos denunciados, o primeiro como forma de reparação às famílias das vítimas a título de custeio dos gastos com funeral, deslocamentos e alimentação de velório superior a R$ 10 mil reais.

O segundo valor refere-se ao dano moral coletivo na quantia mínima de R$ 75 mil reais, para cada réu, a serem revertidos ao fundo de proteção de direitos difusos e coletivos, como forma de indenização mínima de danos causados à sociedade de Parnaíba pelos fatos praticados.

 

Fonte: G1PI

 

 



   



PUBLICIDADE