04 / 09 / 2018 - as 10:24

Condenada a 26 anos pela morte do marido, a avicultora Eleni Carvalho do Vale foi presa nesta segunda-feira (03).  O mandado de prisão foi cumprido pelos policiais do 22º Distrito Policial em Teresina. Ela estava foragida desde a condenação. O processo foi transitado e julgado em junho desde ano. 

De acordo com o delegado Tales Gomes, do 22º DP, a ordem foi expedida pelo juízo da comarca de Esperantina. A prisão ocorreu na zona rural norte de Teresina, no povoado Boa Hora, onde ela residia desde o assassinato do companheiro, com apoio do 13º Batalhão da Polícia Militar. 

O esposo de Eleni, o comerciante Lino Honorato, foi morto em um latrocínio em agosto de 2015. A vítima morava em Morro do Chapéu, localidade em que possuía um comércio. O plano, que contou com a participação da esposa, era roubar R$ 15 mil da vítima. 

“Eleni passou a informação de que o marido estava em poder do dinheiro para os assaltantes. Ele reagiu ao roubo fazendo uso de uma espingarda e feriu um dos assaltantes que por sua vez efetuou disparos contra Lino. Lino, já caído e sem reação, foi esfaqueado e morreu no local”, informou o 22º DP.

Os assaltantes chegaram a atear fogo na casa com Lino dentro e parte do corpo da vítima ficou queimada. Os assaltantes foram identificados como Benerval de Sousa Silva e João Paulo Carvalho do Vale. 

“Lino foi morto porque estaria em poder de R$ 15.000 reais e esta informação foi passada por Elenia ao Benerval  e João Paulo. O crime aconteceu em 2015 em Morro do Chapéu e foi elucidado pela Polícia Civil de Esperantina”, ressaltou o 22º DP. 

“Eleni ia pagar R$ 5 mil para eles matarem o marido. Recebemos a informação que ela estava nessa casa, na zona rural norte de Teresina, e já estaria colocando a casa à venda para se mudar para o estado de Goiás”, acrescentou o delegado Tales.

Segundo o delegado, Benerval de Sousa também foi condenado a 29 anos e encontra-se foragido; já João Paulo do Vale, irmão de Eleni, foi morto a tiros. 


fonte:cidadeverde.com 

 

 


02 / 09 / 2018 - as 09:20

O radialista Adão Sá foi brutalmente agredido durante assalto na cidade de Valença do Piauí (210 km de Teresina) e morreu em uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) a caminho de Teresina, neste sábado (1). 
O crime aconteceu na residência da vítima, localizada no bairro Campestre. Até agora, a informação é de que apenas a motocicleta de Adão foi roubada. 
 
Segundo a polícia, a vítima foi encontrada pela família em casa, momentos depois do assalto, com vários hematomas e ferimentos. Adão foi levado para o primeiro atendimento no hospital local, mas pelo grave estado de saúde, decidiram transferir o paciente para Teresina. 
Informações preliminares dão conta de que não houve arrombamento na casa do radialista, o que levanta a hipótese de que o agressor seria alguém conhecido. De acordo com o delegado Maicon Braga, que investiga o caso, Adão teria se relacionado com o agressor numa festa na noite de sexta-feira (31) e o levado para casa.
 
"O Adão levou esse rapaz para casa, na moto. Lá se desentenderam, a vítima foi espancada e depois o rapaz roubou a moto. Não sabemos se a intenção desde o início era o assalto.  O que sabemos é que a vítima levou a morte para casa", informa o delegado Maicon Braga.
 A polícia de Valença está em diligência na manhã deste domingo e já tem pistas de quem cometeu o crime. "Os policiais voltaram agora do Ceará, onde o suspeito tem parentes, mas não o encontraram. Ele continua foragido", completa o delegado. 
Adão Sá já trabalhou em algumas emissoras de rádio em Valença e Lagoa do Sitio, onde também já foi candidato a vereador.
 
cidadeverde

02 / 09 / 2018 - as 09:15

Na noite de sábado (01/09), um homem identificado apenas como Jerônimo, de 35 anos, morreu durante uma tentativa de assalto na rua 4 do bairro Parque Itararé, na zona Sudeste de Teresina.
De acordo com informações dos agentes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, Jerônimo abordou um policial militar do Maranhão identificado como Cabo Vieira e anunciou o assalto junto com um outro homem que estava na garupa da motocicleta.
Ao perceber a ação, o policial pegou sua arma, quando foi alvejado no abdômen pelos criminosos. Para se defender, realizou três disparos que atingiram Jerônimo sendo dois na cabeça e um no braço, fazendo com que ele viesse a óbito ainda no local. Seu comparsa, fugiu durante a troca de tiros.
Jerônimo já tinha passagem pelo sistema penitenciário por roubos e porte de arma. “Ele já tinha sido preso antes, onde foi pego em flagrante com uma arma roubada de um policial, foi solto e provavelmente queria tomar uma outra arma para realizar assaltos por aí”, afirmou o comandante.
O policial baleado foi encaminhado para uma cirurgia na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital de Urgência de Teresina (HUT).
 
meionorte

01 / 09 / 2018 - as 11:27

O suspeito de estuprar uma idosa na cidade de Paulistana, Sul do Piauí, Edigleuson do Nascimento, 22 anos, fugiu da cela onde estava custodiado na delegacia da cidade. Ele foi preso no dia 20 de agosto e fugiu 10 dias depois. De acordo com o delegado Cícero de Oliveira, a precariedade da estrutura do prédio facilitou a fuga. O G1 procurou a Secretaria de Segurança Pública e aguarda posicionamento.

“Se você jogar água nas paredes e forçar, tudo desmorona. Nas carceragens, fica detido quem quer. Quem quer fugir, foge a qualquer momento. Há dois anos estou aqui e peço a reforma desse prédio e até o momento não tem nenhuma previsão. A estrutura é muito precária e é constante o afastamento dos servidores por problemas de saúde, alérgicos, por conta das infiltrações e mofo nas paredes”, explicou o delegado.

Segundo ele, havia um agende de plantão no momento da fuga, mas apenas uma pessoa não seria capaz de atender o público e ainda fazer a vigilância do preso. “Ele estava preso sozinho, mas é humanamente impossível apenas uma pessoa dar conta de tudo. Além do mais, não é função da polícia civil fazer guarda de detentos”, disse.

Edigleuson estava preso temporariamente para investigações do crime de estupro e o delegado Cícero teme pelo andamento do caso. O caso chocou a população principalmente porque, além da violência sexual contra a idosa, o crime foi cometido diante da neta da vítima, de 4 anos.

“Nós estávamos aguardando para fazer a coleta de material genético e fazer a comparação com o que foi coletado junto à vítima. Agora não sabemos onde ele está e nem quando vamos prendê-lo novamente. As investigações ficam prejudicadas”, relatou.

Fonte: G1PI

 


30 / 08 / 2018 - as 09:18

Uma operação do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) foi deflagrada na manhã desta quinta-feira(30) com alvo nos servidores públicos da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar) e empresários. O superintendente do Meio Ambiente, Carlos Moura Fé, foi um dos detidos na operação.

Estão sendo cumpridos dez mandados de busca e apreensão e sete de prisões temporárias expedidos pela juíza Júnia Maria Feitosa Bezerra Fialho, da 4ª Vara Criminal e estão sendo cumpridos em Teresina, Regeneração, Guadalupe e Brasília-DF. O Cidadeverde.com recebeu a informação de que pelo menos cinco prisões já ocorreram. Na sede do Greco há movimentação de pessoas entrando e saindo, possivelmente advogados e familiares dos detidos.

De acordo com nota divulgada pela Secretaria de Segurança, a operação denominada de Natureza iniciou as investigações em 2015 que apura crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, associação criminosa, advocacia administrativa, além de crimes ambientais. 

O prejuízo chega a mais de R$ 3 milhões e envolve supostamente desvio de verbas públicas, o uso irregular de bens públicos, emissão de licenças ambientais de forma irregular, dentre outros.

Algumas equipes do Greco deixaram a sede da especializada por volta das 7h30 para cumprir os mandados. Entre os presos, analistas ambientais da Semar. 

A reportagem tentou contato com a assessoria de Comunicação da Semar e aguarda uma posição do órgão.

Veja nota na íntegra:

A Secretaria de Segurança Pública e a Polícia Civil do Estado do Piauí, através do Grupo de Repressão ao Crime Organizado – Greco, comunicam que na data de hoje (30), foi deflagrada a Operação Natureza que teve por objetivo prender agentes públicos e empresários que cometeram crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, associação criminosa, advocacia administrativa, além de crimes ambientais.

Foram expedidos pela Dra. Júnia Maria Feitosa Bezerra Fialho, titular da 4ª Vara Criminal de Teresina, dez mandados de busca e apreensão e sete mandados de prisão temporária que foram cumpridos em Teresina-PI, Regeneração-PI, Guadalupe-PI e Brasília-DF. 

As investigações foram iniciadas em 2015, por meio de uma denúncia anônima feita à Polícia Federal e, posteriormente encaminhada ao Greco, visando apuração de ilícitos praticados por servidores da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado do Piauí (Semar-PI), tais como desvio de verbas públicas, o uso irregular de bens públicos, emissão de licenças ambientais de forma irregular, dentre outros. 

As ações dos investigados ocorrem desde 2012 e o valor estimado de prejuízo à Administração Pública é de R$ 3.129.236,04. 

A operação contou como o apoio operacional da Diretoria de Inteligência da SSP e Polícia Civil (DINT), Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), Divisão de Operações Especiais (DOE), Delegacia de Repressão a Crimes de Internet (DRCI), Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), 4º Distrito Policial, Polícia Civil do Distrito Federal, 25º Batalhão do Exército Brasileiro e Tribunal de Contas do Estado.

O Delegado Geral de Polícia Civil, Riedel Batista e o coordenador do Greco, Willame Moraes, receberão a imprensa hoje (30), às 11h, na sede da Delegacia Geral de Polícia Civil, para fornecer maiores detalhes sobre a Operação. 


Teresina-PI, 30 de agosto de 2018.

Fonte: cidadeverde.com 

 

 

 


28 / 08 / 2018 - as 11:46

A Polícia Civil está investigando a atuação de uma quadrilha formada por jovens, filhos de empresários e comerciantes - que juntos - realizam assaltos e arrombamentos a veículos em Teresina. 

Três suspeitos foram presos ontem pelo Batalhão de Rondas Ostensivas de Naturezas Especiais. Eles atuam em grupo e são de família de classe média alta da cidade.

O chefe de investigação do 2º DP, Feliciano Sobrinho informou ao Cidadeverde.com que a quadrilha atua na zona Leste e no bairro Dirceu.

"Eles são jovens classe média alta que sem usar drogas são rapazes tranquilos, mas quando usam drogas são terríveis espancam vítimas, assaltam principalmente na zona Leste e Dirceu", disse Feliciano.

Na rede social, eles já foram batizados de  os "Playboys da zona Leste". 

Segundo o chefe de investigação, a delegacia investiga o grupo. Três foram presos, mas a polícia já identificou que o bando é composto de pelo menos oito rapazes. 

Os três jovens suspeitos foram presos em uma abordagem da polícia, realizada pelos policiais da Rone. No veículo em que andavam, foi encontrada uma arma de fogo e vários pertences pessoas de supostas vítimas.

A prisão aconteceu na avenida Petrônio Portela, no bairro Primavera, na zona Norte, depois que os policiais foram avisados pelo 190 de que o trio estariam realizando vários assaltos e que estariam em um Golf, cor prata de placa NXU-6587 da Paraíba.

“Estávamos já com as informações sobre o carro e ao abordar os ocupantes foram encontrados a arma, dinheiro e pertences pessoais das vítimas. Duas das vítimas foram localizadas. Uma delas falou do uso da arma em assalto. Os suspeitos quando observados não aparentam o 'perfil’ de quem faz isso por 'necessidade’, não que há necessidade justifique. Pela aparência não são pessoas que precisam fazer isso para adquirir aquele bem roubado”, comentou o comandante da Rone, major Newmarcos. 

Eles foram identificados como: Alex Fabiano Jaques Filho, Artur Alencar do Nascimento e Rennê Nóbrega de Queiroz Campelo. 

Com eles foram apreendidos: um revólver calibre 38, carregado com cinco munições, o veículo, R$ 629 em dinheiro, vários cartões de crédito e de bancos, três controles de portões automáticos e vários pertences pessoais de vítimas.

Fonte: cidadeverde.com

 


28 / 08 / 2018 - as 08:26

Policiais Militares do 15° BPM prenderam por volta das 23h00 dessa segunda-feira (27/08) um dos maiores arrombadores de Campo Maior, identificado como Francisco Valderi Araújo da Silva.
 
Valderi foi preso no momento em que estava dentro de um estabelecimento comercial no bairro de Fátima. De acordo com os policiais, uma pessoa percebeu a porta do comércio aberta e ligou para a Polícia Militar, que ao chegar ao local encontrou o arrombador com várias sacolas repletas de mercadoria e dinheiro em espécie, preparando-se para fugir numa motocicleta. Foi dada voz de prisão e o preso encaminhado para a delegacia.
 
O ladrão já foi preso várias vezes por esse tipo de crime, com passagem, inclusive, pela Casa de Custódia, de onde saiu recentemente e estava na liberdade condicional. "A especialidade dele é praticar arrombamentos, geralmente no período da noite. Vários arrombamentos que ocorreram recentemente em Campo Maior são atribuídos a ele", informou o Major Etevaldo, Comandante do Batalhão de Campo Maior. 
 
O Sargento Alencar, juntamente com os soldados Lobão, Façanha e Warney, foram os responsáveis pela prisão do acusado.
 
 
 

24 / 08 / 2018 - as 15:42

Durante as rondas da VTR Operação Blitz, foi recebida a informação, via COPOM, de que haveria um carro Nissan Frontier de cor avermelhada abandonado na rua supracitada. E ao chegar no local, foi de fato constatato tal veículo abandonado de placa NHY-7969. E  após feita a varredura nas proximidades para se constatar a segurança da abordagem ao aproximar-se do  veículo, foram tomadas as medidas de remoção do veiculo do local. Sendo que na parte interna do mesmo há partes de um motor em provável desmanche, além de outras peças de um automotor espalhados na carroceria.

 



PUBLICIDADE