20 / 02 / 2016 - as 15:47

Os empresários da noite, no municipio de campo maior, a 84 km da capital no norte do estado, já começam a mostrar preocupação com a evasão de consumidores,  que movimentam a vida noturna no municpiuo.Segundo eles a evasão de clientes para outros centros como teresina, é um dos pricipais problemas enfrentados, isso mediante a falta de opção para diversão e entretenimento, principalmente do público jovem , que buscam sempre novidades e atrativos como: baladas , festas com bandas que fazaem sucesso no momento e boates.No municipio esse tipo de opção não existe, prinicipalmente  no que se refere a boates , cinemas e baladas constantes.. " por aqui as festas com bandas famosas acontecem somente em período de festas, como festejos de Santo Antônio, carnaval,e fim de ano."é o que  enfatiza o empresário Erisvaldo, dono de uma casa de pizza ..para ele, que já esta no ramo a mais de 15 anos, esse tipo de opção movimenta a cidade e a noite, fazendo girar dinheiro e com isso movimenta os estabelecimentos, fazendo com que o dinheiro circule e com isso a vida noturne ganhe novas projeções .

Apesar de ter uma gastrônomia reconhecida em todo o estado, o municipio de campo maior,  registra  um momento crítico com essa  evasão de clientes, levando a surgir um quadro de desemprego e fechamento de alguns bares, churrascarias e traylleres , apesar do problema vivido a   crise existente ainda leva o público a  economizar,  almoçar e jantar fora requer um planejamento e para alguns trata-se de luxo, das quase 28 churrascarias existentes na cidade, todas registram um baixo número de clientes e consumo e com a chegada do período chuvoso, o problema se agrava, sendo uma das opções registradas, os pequenos negócios ,como venda de misturinhas ,comercializadas em pontos tímidos de algumas praças, ou até mesmo em frente de  algumas residências e ainda os traylleres com venda de sanduiches.

Com toda essa falta de opção,também entra em cena o conselho tutelar do municipio, que já vêm   criaando estratégias de fiscalização nesses pequenos points de venda,  a fim de coibir o consumo de bebida alcóolica por menores  ficando  alerta a essea movimentação.Em meio a toda essa problemática os empresários da noite agora aposta  no calendário de férias e na chegada dos festejos de Santo Antônio, enquanto isso garatem eles que vão continuar tentando driblar esse quadro mas que lamentam também a falta de investimento nessa área, que tanto proporciona, não só rendimentos como qualidade de vida.

Por F. Royttma 

 

 


19 / 02 / 2016 - as 15:40

Com a chegada do período da quaresma , que antecede a Semana Santa, a familia campomaiorense ja começa a viver antecipadamente o pesadelo gastronômico  do período da semana Santa, Devido a tradição católica, de que nesse período de quaresma, a carne vermelha sai de cena e da mesa de muitas familias, para  dar lugar  ao peixe, bacalhau etc.., muitas dessa familias já começam a lamentar e a se conformar com a presença, mais que atuante, da sardinha e do já conhecido ovo de cada dia, que também anda meio sumido , podendo voltar a qualquer instante com uma nova performance de preço, vendido hoje ja ao preço de R$ 0,50. Esses ítens ainda exibem uma melhor oferta de preço, o fato é que para o consumidor ter a mesa o saboroso bacalhau queijo e peixe, vai ter que gastar bem mais  em comparação a anos anteriores, isso porque o momento é de crise e a alta desses produtos para esse período, está  viabilizando esse pesadelo, que mediante a taxas e impostos até chegar ao consumidor final, faz com que seu preço triplique ate chegar ao mercado consumidor.

Alguns ítens mais populares começam a ser o grande atrativo, como o peixe comum de água doce , mas até mesmo o tambaqui anda meio que vilão nesse período , é que o mesmo também sofreu um aumento considerável de preço custando para o consumidor o preço e R$ 13,00 A 15,00 o kilo.Já o tomate teve alta estratosférica , segundo alguns consumidores , chegando a  R$ 8,00 o kilo desse produto sem muita qualidade, relacionado a tamanho e aparência.O queijo segue os passos do bacalhau que nesse período ganha aumento e chega a sumir da mesa de alguns apaixonados pela iguaria, mas que, a medida que acaba o período da semana santa, passa a ser vendido apreço de banana.. lamenta alguns consumidores .Para a dona de casa Raimunda Nonata da Paz , residente no conjunto Jose de Almeisa, o jeito é preparar a mesa com criatividade e aderir ao consumo de saladas , ja que muitos preferem dar um não ao consumo de carnes vermelhas.O Vaticano chegou a dismistificar essa cultura de naõ comer carne vermelha durante a queresma e semana santa, podendo os católicos comer carne opatndo por realizar boas ações e atividade de ajuda ao próximo .

por F.Roytman


13 / 01 / 2016 - as 09:46

Não teve jeito! Teresina fechou o ano de 2015 com a inflação em dois dígitos: 10,67% - mesmo percentual da inflação nacional, medida pelo IPCA. A informação é da Fundação Cepro, órgão oficial responsável pelo cálculo do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) no Piauí. Em novembro, este número já havia chegado aos dois dígitos, porém, segundo o diretor de estatísticas responsável pela pesquisa, Elias Alves Barbosa, não se esperava um aumento tão significativo no último mês do ano. “Todo mês de dezembro temos alta em determinados setores, mas há muitos anos não se chegava a tanto. Tivemos agora um aumento de 1,18% no Custo de Vida do teresinense e isso dado, principalmente, aos produtos alimentícios que, sozinhos, aumentaram 2,64%”, descreve o pesquisador.

Os principais responsáveis pelo aumento anual da Inflação na capital foram exatamente aqueles que pesam diretamente sobre o orçamento das famílias de menor poder aquisitivo:

- Alimentos (+13,55%)
- Transportes (+13,77%)
- Serviços de Natureza Pessoal (+13,41%)

Por outro lado, houve deflação de 1,42% no setor de vestuário. A Cepro atribui o resultado à diminuição do poder de compra do consumidor, que está com gastos limitados. "O setor teve que baixar preços para atrair teresinenses. Vimos isso neste último mês e vamos ver isso se repetir nos próximos, com certeza”, explica o diretor de estatística.

Fonte: cidadeverde.com


 


17 / 11 / 2015 - as 11:54

A renda média do piauiense cresceu cerca de 10% entre 2013 e 2014, é o que revela a Supervisão de Disseminação de Informações do IBGE. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD 2015 e mostram que a renda atual do piauiense no ano passado era R$ 827, enquanto no ano anterior era R$ 744.  

Apesar de ter aumentado, o piauiense ainda recebe bem menos que a média nacional, que era de R$ 1.196 em 2013 e R$ 1.315 em 2014. Mas, quando se trata de crescimento, a renda piauiense cresceu mais que a nacional, já que a nacional aumentou apenas em 9%. O piauiense também recebe menos que a média do Nordeste, que era de R$ 766 em 2013 e R$ 854 no ano passado.

Veja na tabela:

O piauiense recebe 37,1% a menos que a média nacional e 3,16% a menos que a média do Nordeste.

Os dados revelam ainda 671 mil piauienses que tem 15 anos ou mais ganham entre meio salário mínimo (R$ 394) e um salário mínimo (R$ 788). Eles recebem, em média, R$ 651. Em menor número estão os piauienses que ganham mais de 20 salários mínimos (acima de R$ 15.760) – eles são apenas 8 mil pessoas, sendo 6 mil homens e 2 mil mulheres. Veja outras informações:

- 2,16 milhões de piauienses (67,56%) recebe até 2 SM e constituem a maioria da população;
- 245 mil piauienses recebem entre 2 e 10 SM;
- 13 mil piauienses recebem entre 10 e 20 SM.

A renda média dos piauienses que residem na zona urbana é R$ 966; na zona rural, esse valor cai para R$ 538 – inferior ao salário mínimo.

Renda Familiar

O Piauí possui 1,04 milhão de famílias e a renda média familiar mensal, segundo a pesquisa do IBGE é de R$ 1.922. Por classe social, podemos dividir as famílias brasileiras da seguinte forma:

Fonte: cidadeverde.com

 

 


09 / 11 / 2015 - as 21:30

Oitenta e oito pessoas que ganharam no primeiro sorteio da Nota Piauiense, realizado em 30 de setembro, ainda não pediram o resgate do prêmio. Segundo o regulamento, o ganhador tem 90 dias, contados da data da divulgação da portaria com o resultado do sorteio, para requerer o resgate da premiação no site da Nota Piauiense. No caso desse primeiro sorteio, este prazo começa a contar a partir do dia 01 de Outubro. Essas pessoas devem informar, urgente, no site da Nota Piauiense, a conta (corrente ou poupança) que desejam receber o dinheiro para que o Estado efetue o pagamento sem a necessidade destes consumidores se deslocarem à sede da Sefaz.

Para isso, ao entrar com o CPF e a senha cadastrados para acessar o site da Nota Piauiense, www.sefaz.pi.gov.br/notapiauiense , ou optando pelo banner da nota piauiense no site da Sefaz, www.sefaz.pi.gov.br (localizado do lado direito do site, logo abaixo do banner verde do SIATweb), o ganhador deve acessar a opção "Utilização de créditos", posteriormente clicar em "Crédito de sorteio", e, por fim, informar a sua conta corrente ou poupança, sendo esta apenas do titular do CPF, juntamente com o valor da premiação que deseja resgatar. A partir desse procedimento, o Estado tem até 30 (trinta) dias para efetuar o depósito do prêmio em dinheiro na conta informada pelo titular do CPF premiado. Vale ressaltar que o nome deste deve constar na portaria que dispõe sobre o resultado do sorteio, divulgada pela Sefaz.

Veja abaixo a lista dos 88 ganhadores que ainda não solicitaram o prêmio:

1.                                   LUCIA MARIA DA SILVA
2. OSMARINA ALVES NOLETO
3. CARLITO FERREIRA DOS SANTOS
4. MARIA DE JESUS SANTOS MELO
5. SERGIO RICARDO SOARES VIANA
6. CONCEIÇÃO DE MARIA SOARES DA SILVEIRA GUIMARÃES
7. ANTONIO RIBEIRO DO NASCIMENTO
8. SOLANGE MARIA DE SOUSA
9. EDIMARA CAFE DOS SANTOS
10. GARDENIA LUZ SEPULVEDA SILVA
11. MARIA DE LOURDES DE SOUSA BATISTA MONTALVÃO
12. ALCIDES EULÁLIO NUNES
13. ANSELMO MENDES VIEIRA
14. DENISE REGINA DA SILVA
15. ROMULO DE OLIVEIRA PRACA
16. ANTONIA NASCIMENTO DE FREITAS
17. EDUARDO RODRIGUES SOUSA
18. JOSE VASCONCELOS ROCHA
19. LÍDIA MARIA PEREIRA NUNES
20. JANETE SANTANA MACHADO DOS SANTOS
21. MARINALDA PEREIRA DA COSTA RODRIGUES
22. ATILA TORRES
23. FELIX SEVERIANO DAMASCENO NETO
24. ALUISIO FREITAS SIVA SOUSA
25. EMANUELLA ANANDA MONTEIRO CRUZ
26. HENRIQUE ANTONIO DA SILVEIRA
27. FRANCISCO WILSON COSTA
28. FRANCISCO CESAR DEMES DE CASTRO LIMA
29. MARIA DO SOCORRO OLIVEIRA
30. MARIA ODETE MORAIS CUNHA
31. ROSA MARIA DE OLIVEIRA BARROSO
32. KEILA MARIA GONÇALVES DA SILVEIRA FORTES
33. FRANCISCO ANTONIO DA SILVA
34. ROSELIA SILVA ARAUJO LAGES
35. MARIA ZILDA LEAL BORGES
36. MARIA WILMA BISPO DA SILVA
37. RUIMAR ALVES PEREIRA
38. SOLANGE MARIA DA SILVEIRA CARVALHO RIBEIRO
39. ERINALDA MARIA ALVES DE SOUSA GOMES
40. PATRICIA LEITE RODRIGUES
41. ANTONIA RITA DA SILVA ARAUJO
42. ANA PAULA RIBEIRO DE CASTRO ARAUJO
43. MARIA LAURA DE SOUSA SOARES FERREIRA
44. GUTEMBERG ARAÚJO MAGALHÃES
45. MARCOS ANTONIO GOMES DOS SANTOS
46. IVANILDO RAMOS SOUSA
47. EDUARDO OLIVEIRA DOS SANTOS
48. FRANSCISCA BANDEIRA DA SILVA
49. MAURICIO BORGES VERAS
50. JOSÉ RODRIGUES DA SILVA
51. KALINA RAQUEL MARQUES RAMEIRO
52. ELEUZA DE ALENCAR OLIVEIRA COSTA
53. SUZANA PEREIRA TORRES
54. ESRASMO RIBEIRO NERES
55. CLAUDIO HENRIQUE DOS SANTOS CHAVES
56. JOSUE ALMEIDA SOUSA
57. VALDEMAR RIBEIRO GONÇALVES
58. MARIA ROSÁRIO OLIVEIRA BONA
59. MARIA LUIZA DE ARAUJO QUARESMA
60. ALBEMERC MOURA DE MORAES
61. FRANCISCO RODRIGUES DO AMARAL NETO
62. MARIA DO ROSARIO DE FATIMA ALCANTARA LIVRAMENTO
63. FERNANDA SILVA VIEIRA
64. MARIA DO PERPETUO SOCORRO LUSTOSA DE ALMEIDA
65. FRANCISCO DAS CHAGAS SANTOS FILHO
66. CARLOS PINTO DE ALMEIDA JÚNIOR
67. JOSETE MACEDO MARQUES DE OLIVEIRA
68. CLINAURA ALVES RODRIGUES
69. TANIA MARIA WAQUIM
70. MARIA EUNICE RODRIGUES DOS SANTOS
71. JOSIMAR DE SOUSA COSTA
72. JOSE CARLOS ARAUJO DA SILVA
73. MARIA DA CRUZ DA SILVA CHAVES
74. AMANDA DE MOURA LEAL
75. MARIA DO CARMO ALVES LIMA
76. JOSÉ WILLIANS DE ARAUJO SILVA
77. MARIA GORETTI DO REGO NERY LEITE
78. ANTÔNIO ALVES DE OLIVEIRA PEREIRA
79. MARIA DO LIVRAMENTO DOS SANTOS SOUSA
80. MANOELA FERRAZ MONTEIRO SEGNINI
81. RAIMUNDO GUILHERME PEREIRA BARROS
82. AURIELA DE SOUSA SANTOS
83. RAIMUNDO MORAIS BATISTA
84. ROSA MARIA DA SILVA RODRIGUES
85. SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO BÁSICA PÚBLICA DO PIAUÍ
86. EVANDRO VIANA DE OLIVEIRA
87. MARCUS TOBIAS DUARTE MOURÃO
88. MARILÉA DA SILVA LEAL

2.                                   Fonte: cidadeverde.com


06 / 11 / 2015 - as 11:12

No ranking dos 20 maiores municípios produtores de pó de carnaúba, 15 são do Piauí. O Piauí se destaca na produção com 12 mil toneladas - correspondendo a 64,6% da produção nacional e valor de R$ 90 milhões. Os dados foram divulgados hoje (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Piracuruca, com 906 toneladas, Campo Maior com 868 toneladas e  Piripiri - 823 toneladas  têm as maiores produções. O Ceará contribuiu com 32% da produção nacional e tem o município de Granja o maior produtor do país com 1.150 toneladas. O pó é a base para a produção da cera da carnaúba, amplamente utilizada desde a produção de alimentos até diversos tipos de vernizes.  

Já na produção de amêndoas de babaçu, o Maranhão concentra 95,5% da produção nacional, seguido pelo Piauí com 4,5%. Quanto à produção de Carvão Vegetal, o Piauí ficou em terceira colocação com 145 mil toneladas, atrás dos Estados do Maranhão e Mato Grosso do Sul. Jerumenha é o município com maior produção de carvão vegetal do Estado. 

Em relação à produção de soja, o Piauí produziu 1.488 mil toneladas de grãos - representando 57,5% de participação no total do valor da produção do Estado. O cerrado é a principal região produtora de grãos, tendo como os maiores produtores os municípios de Baixa Grande do Ribeiro e Uruçuí. 

A produção de milho teve uma participação de 19,7% no total do valor da produção com 1.036 mil toneladas e o principal produtor foi o Município de Uruçuí, seguido de Baixa Grande do Ribeiro. 

A produção de Caju no Estado foi de 12 mil toneladas, no valor de R$ 21 milhões. 

Fonte: cidadeverde.com


03 / 11 / 2015 - as 09:49

A maior parte da população curte bastante um feriado e quando ele é prolongado a alegria é ainda maior. Mas as folgas que alegram muita gente causam sérios prejuízos em alguns setores. Os comerciantes são os mais afetados com essa sequência de feriados registrada em 2015.

No Piauí, as vendas no comércio já caíram 40% em relação ao ano passado e a maior parte do prejuízo é atribuída a grande quantidade de dias não trabalhados. O mês de outubro foi o campeão de feriados, com quatro ao todo. Se contabilizado o Dia de Finados, em novembro, foram cinco feriados em menos de 30 dias no Piauí.

Apesar da queda, os prejuízos não atingem todos os segmentos do comércio. Alguns setores chegam até a lucrar com os feriadões. Algumas oficinas de veículos praticamente chegam a dobrar o faturamento devido às revisões feitas pelos motoristas antes de pegarem a estrada para curtir a folga.

As empresas de ônibus registraram aumento de 30% nas viagens durante os fins de semana de feriado prolongado e também se deram bem com os feriadões. Ao todo, foram 40 veículos extras colocados em circulação durante esse período.

Fonte: G1 Pi


03 / 11 / 2015 - as 09:46

As previsões do mercado financeiro para a inflação deste ano e de 2016 continuaram piorando na semana passada. Houve piora também na estimativa dos analistas para o nível de atividade da economia brasileira, segundo o relatório de mercado, também conhecido como Focus. O documento, divulgado pelo Banco Central nesta terça-feira (3), é fruto de pesquisa com mais de 100 instituições financeiras.

Para 2015, a expectativa dos economistas é que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial, feche o ano em 9,91%, se aproximando assim da marca dos 10%. Na semana anterior, a taxa esperada era de 9,85%. Se confirmada a estimativa, representará o maior índice em 13 anos, ou seja, desde 2002 – quando ficou em 12,53%.

Essa foi a sétima alta seguida no indicador. O BC informou recentemente que estima umIPCA de 9,5% para este ano. Segundo economistas, a alta do dólar e, principalmente, dos preços administrados (como telefonia, água, energia, combustíveis e tarifas de ônibus, entre outros) pressiona os preços em 2015. Além disso, a inflação de serviços, impulsionada pelos ganhos reais de salários, segue elevada.

Para 2016, os economistas das instituições financeiras elevaram sua expectativa de inflação de 6,22% para 6,29% na última semana. Foi a 13ª alta seguida do indicador que continua se distanciando da meta central de 4,5% fixada para o ano que vem. Recentemente, o BC admitiu que não conseguirá trazer o IPCA para a meta central de 4,5% no próximo ano. Segundo a autoridade monetária, isso será possível somente em 2017.

Pelo sistema que vigora no Brasil, a meta central para 2015 e 2016 é de 4,5%, mas, com o intervalo de tolerância existente, o IPCA pode oscilar entre 2,5% e 6,5%, sem que a meta seja formalmente descumprida. Com isso, a inflação deverá superar o teto do sistema de metas em 2015, algo que não acontece desde 2003.

Fonte: G1



PUBLICIDADE