20 / 01 / 2016 - as 11:51

A falta de diversidade entre os atores e atrizes indicados para a próxima cerimônia do Oscar tem causado polêmica em Hollywood, onde nesta terça-feira (19) as vozes indignadas surgiram.

Pelo segundo ano consecutivo, nenhum artista nem diretor negro estará na disputa por uma estatueta dourada, e as redes sociais fervem com as hashtags #OscarsSoWhite (Oscar muito branco) e #OscarStillSoWhite (Oscar ainda muito branco).

Os membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood deixaram de fora da corrida Will Smith ("Concussion"), Idris Elba ("Beasts Of No Nation"), Michael B. Jordan ("Creed"), além dos protagonistas de "Straight Outta Compton – A história do N.W.A.".

A controvérsia atingiu o ápice quando a presidente da Academia, Cheryl Boone Isaacs, deu um passo adiante na noite de segunda-feira (18) para reconhecer sua decepção diante do panorama apresentado pela mais prestigiosa premiação do cinema mundial.

"Eu estou envergonhada e frustrada com a falta de diversidade", disse Boone Isaacs em comunicado. "Este é um debate difícil, mas importante, e é hora de fazer grandes mudanças", reconheceu. Ela já havia enviado nota ao Deadline na última semana em tom semelhante.

Desde que assumiu a presidência da Academia em 2013, Cheryl Boone Issacs estimula a diversidade, mas ela admitiu que "a mudança não chega tão rápido quanto desejamos".
"Devemos fazer mais, melhor e mais rápido".

Nos próximos dias, a organização vai revisar o processo de candidatura de novos membros "para conseguir a tão necessária diversidade", prometeu a presidente.

A Academia é formada por 6 mil membros, entre os quais 94% são brancos e a maioria homens, enquanto os negros e os latinos representam cerca de 2%, segundo o jornal "Los Angeles Times".

Fonte: Ego

 


14 / 01 / 2016 - as 12:14

Um ataque com explosivos contra um centro comercial deixou mortos nesta quinta-feira (14) no centro de Jacarta, capital da Indonésia. Os atos foram considerados como "terroristas" pelo governo local.

O número de mortos ainda é incerto. Segundo a France Presse, sete pessoas morreram - cinco suspeitos e dois civis, um deles cidadão holandês. A Associated Press também informa sete mortos - quatro suspeitos e três outras pessoas.

Já a Reuters informa que ao menos nove pessoas morreram: três suspeitos, três policiais e três civis. Outros três homens-bomba também estariam envolvidos no ataque.

Mais cedo, a polícia informou que pelo menos dois homens-bomba morreram.

Uma agência de notícias aliada ao grupo jihadista Estado Islâmico disse que eles são os responsáveis pelo ataque.

"Combatentes do Estado Islâmico realizaram um ataque armado nesta manhã tendo como alvo cidadãos estrangeiros e as forças de segurança encarregadas de protegê-los na capital da Indonésia", disse a agência Aamaaq em sua conta no serviço de mensagens Telegram.

Mais cedo, a polícia indonésia já havia dito que um grupo vinculado ao EI era suspeito da ação.

"Há uma forte suspeita de que que (os ataques) são obra de um grupo na Indonésia vinculado com o EI. Pelo que vemos hoje, se trata de um grupo que segue o exemplo dos atentados de Paris", declarou à AFP o porta-voz da polícia, Anton Charliyan.

O presidente do país, Joko Widodo, chamou de "atos terroristas" os ataques, que tiveram como alvo sobretudo um café da rede Starbucks próximo a várias agências da ONU e embaixadas.

Ele pediu ao país que não se deixe vencer pelo medo.

"Não seremos vencidos por estes atos terroristas", declarou Widodo ao canal Metro TV.

A polícia indonésia estava em alerta máximo durante as festas de Ano Novo, após o anúncio do plano de atentado suicida em Jacarta.

Fonte: G1


22 / 12 / 2015 - as 09:44

As equipes de resgate chinesas encontraram hoje (22) o primeiro corpo no parque industrial do Sul do país, atingido por um deslizamento de terra que enterrou mais de 30 edifícios em um mar de lama.

É a primeira morte confirmada, enquanto 81 pessoas continuam desaparecidas, na sequência do segundo maior acidente industrial na China em quatro meses.

O desastre, ocorrido no domingo (20), teria sido causado pela excessiva acumulação de resíduos de construção e terra.

Testemunhas relatam "ondas gigantes" de uma massa de lama e terra vermelha a deslizar sobre a zona industrial em Shenzhen, antes de derrubar e cobrir fábricas e prédios.

Vídeo registrado por um drone e divulgado na televisão chinesa mostra uma corrente de lama entre e sobre prédios, enquanto caminhões aparecem tombados nas margens.

O deslizamento cobre uma área de 380 mil metros quadrados - o equivalente a 60 campos de futebol - atingindo 10 metros de profundidade em algumas áreas, disse uma fonte oficial.

Os resíduos e a terra, acumulados durante obras de construção, teriam sido armazenados ilegalmente em pilhas com 100 metros de altura.

A chuva intensa que atingiu a região no domingo de manhã transformou os detritos em lama.

Em agosto, duas explosões em um terminal de contêineres que armazenava ilegalmente 3 mil toneladas de produtos químicos na cidade portuária de Tianjin, deixaram 173 mortos e 700 feridos.

Vizinha de Hong Kong, Shenzhen é o principal centro da indústria tecnológica da China, com fábricas de montagem que trabalham para numerosas multinacionais do setor.

Fonte: Agência Brasil


07 / 12 / 2015 - as 12:20

Tashfeen Malik, que ao lado do marido matou 14 pessoas na Califórnia na semana passada, estudou em uma das escolas religiosas mais conhecidas do Paquistão, informou à AFP uma de suas professoras, o que revela informações sobre seu processo de radicalização.

Malik, de 29 anos, estudou no Instituto Al-Huda da cidade de Multan, que recebe mulheres de classe média que desejam se aproximar do islã, disse a professora, que se identificou como Muqadas.

A madrassa (escola muçulmana) tem unidades nos Estados Unidos, Emirados Árabes Unidos, Índia e Reino Unido, além de um campus em construção no Canadá.

"Era um curso de dois anos, mas ela não concluiu. Era uma boa garota. Não sei por que foi embora, nem o que aconteceu", completou.

O instituto não tem relações conhecidas com grupos extremistas, mas já foi acusado de difundir uma ideologia próxima à dos talibãs.

Mas o fato de Tashfeen Malik frequentar o local ajuda a entender sua trajetória rumo ao extremismo, que provavelmente começou na infância na Arábia Saudita e prosseguiu durante os estudos no Paquistão, culminando com o juramento de lealdade ao grupo jihadista Estado Islâmico (EI) antes de pegar em armas.

Malik e seu marido Syed Farook, de 28 anos, provocaram um massacre em um centro social de San Bernardino (Califórnia) na quarta-feira da semana passada, um ataque reivindicado pelo EI, que chamou os dois de "soldados do califado".

De acordo com a polícia, Malik, que tinha visto para morar nos Estados Unidos, mas passou longos períodos no Paquistão e na Arábia Saudita, pode ter radicalizado o marido.

Os investigadores tentam determinar se ela teve contato com islamitas radicais em alguns destes países.

Fonte: G1


24 / 11 / 2015 - as 11:57

A aviação turca derrubou um avião militar russo perto da fronteira com a Síria nesta terça-feira (24), informou a presidência do país. Segundo a Turquia, o avião havia violado o seu espaço aéreo.

De acordo com a agência russa Interfax, o Ministério da Defesa russo confirmou que um de seus jatos foi derrubado na Síria, aparentemente após ser atingido por disparos do solo.

A autoridade disse, entretanto, que o jato Su-24 não havia violado o espaço aéreo turco. O ministério afirmou que os pilotos conseguiram se ejetar e chegaram ao solo de paraquedas. O governo de Moscou afirmou que pode provar que seu avião não deixou o espaço aéreo sírio.

Durante o voo, o avião permaneceu todo o tempo sobre o território da Síria, como ficou registrado nos radares", declarou o Ministério da Defesa da Rússia.

O porta-voz do Kremlin chamou a queda de “um incidente muito sério”, mas disse ser muito cedo para chegar a conclusões.

A emissora "CNNTÜRK", porém, afirma que um deles acabou morrendo. O outro teria sido capturado por milícias turcomanas, de oposição ao regime de Bashar al-Assad, na região onde estão os helicópteros.

Segundo o Exército turco, o avião derrubado foi alertado dez vezes em um intervalo de cinco minutos sobre a violação do espaço aéreo. Dois jatos F-16 turcos que faziam patrulha na fronteira se envolveram na derrubada da aeronave.

Um oficial turco disse à Reuters que havia dois aviões de guerra foram alertados após entrarem no espaço aéreo do país antes de um deles ser derrubado.

Após o ocorrido, helicópteros russos começaram a sobrevoar a região no norte da Síria, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Em comunicado, a ONG afirmou que os helicópteros estão sobrevoando Jabal al Turkoman, vizinha à região turca de Iskenderún, onde um dos pilotos caiu.

Fonte: G1


19 / 11 / 2015 - as 09:50

O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, advertiu nesta quinta-feira (19) para o risco de um atentado com "armas químicas ou bacteriológicas", ao solicitar à Assembleia Nacional a prorrogação do estado de emergência, seis dias depois dos atentados de Paris, de acordo com a France Presse.

O governo francês declarou o estado de emergência após a onda de ataques que matou 129 e deixou mais de 350 feridos na sexta-feira (13) em Paris e Saint-Denis. O prolongamento do estado de emergência para três meses foi proposto pelo governo.

Manuel Valls também defendeu a rápida adoção do arquivo europeu de passageiros aéreos. "Estamos em guerra. E não o tipo de guerra a que tragicamente a história nos acostumou. Não, uma guerra nova - externa e interna -, na qual o terror é o primeiro objetivo e a primeira arma", disse o chefe de Governo aos deputados.

A polícia informou que policiais franceses estarão autorizados a transportar sua arma enquanto a França estiver o estado de emergência, de acordo com a Reuters.

Os serviços de segurança fazem nesta quinta seis operações em Bruxelas, na Bélgica, no tentativa de localizar Bilal Hadfi, que detonou os explosivos perto do Stade de France, matando uma pessoa.

O primeiro-ministro belga, Charles Michel, rejeitou as críticas aos serviços de segurança do país, que está no centro das investigações sobre os ataques da semana passada.

O premiê belga também anunciou que a Bélgica irá gastar 400 milhões de euros adicionais no combate ao Estado Islâmico.

Fonte: G1

 


18 / 11 / 2015 - as 10:43

A polícia e militares da França realizaram uma operação, nesta quarta-feira (18), no subúrbio de Saint-Denis, norte de Paris, que provocou um intenso tiroteio, deixou dois mortos e sete presos.

A ação, que começou na madrugada e terminou às 9h, foi uma caçada a suspeitos de terrorismo, em especial ao mentor dos ataques contra a capital francesa, Abdelhamid Abaaoud. O paradeiro dele segue desconhecido.

Segundo a Reuters, os alvos da operação planejavam realizar um ataque ao distrito financeiro parisiense de La Defense. A informação é de uma fonte próxima às investigações.

RESUMO DA OPERAÇÃO
- Policiais entraram em um apartamento e uma igreja em Saint-Denis, em Paris.
- Foi registrado um intenso tiroteio.
- Houve 2 mortes: uma mulher explodiu um colete e um homem foi atingido por projéteis e granada.
- Pelo menos 5 policiais se feriram.
- 7 suspeitos foram presos, mas as identidades não foram informadas.
- O principal alvo da ação, Abdelhamid Abaaoud, o suposto mentor dos ataques em Paris, ainda não foi localizado.

Montagem mostra suspeitos que estariam por trás dos ataques em Paris. Da esquerda para a direita: Bilal Hadfi (francês), um homem não identificado, Abdelhamid Abaaoud (o líder, 28 anos, belga), Salah Abdeslam e Samy Amimour (Foto: AFP)

Fonte: G1


17 / 11 / 2015 - as 12:01

O Serviço de Segurança Federal da Rússia (FSB) disse nesta terça-feira (17) que a queda do avião russo sobre o Sinai, no Egito, em 31 de outubro foi resultado de um ato terrorista, causado por uma bomba que explodiu a bordo.

Segundo a FSB, traços de explosivos foram encontrados nos destroços da aeronave. O avião da companhia aérea russa KogalimAvia, mais conhecida como Metrojet, caiu pouco após decolar do litoral do Egito com destino aSão Petersburgo, na Rússia.

As 224 pessoas a bordo morreram. O Estado Islâmico (EI) reivindicou a queda, mas não explicou como teria executado o ataque.

O presidente russo, Vladimir Putin, disse que vai encontrar os responsáveis pela queda do avião e ordenou que isto seja o foco dos serviços especiais russos, de acordo com a Reuters.

"Durante o voo, foi ativado um artefato explosivo de fabricação caseira com potência equivalente a um quilo de TNT", indicou Putin.

Alguns minutos antes, o diretor do FSB, Alexander Bortnikov, também havia afirmado que a catástrofe foi um atentado. “Podemos dizer inequivocamente que foi um ato terrorista”, disse ele, em um encontro com o presidente.

"De acordo com uma análise feita pelos nossos especialistas, uma bomba caseira contendo até um quilo de TNT explodiu durante o voo, levando-o a partir-se em pleno ar, o que explica o fato de a fuselagem estar espalhada por uma distância tão grande", disse Bortnikov.

Fonte: G1



PUBLICIDADE