04 / 01 / 2019 - as 13:21

Um adolescente de 18 anos, indentificado como Antônio Lopes Sousa, morreu na noite de ontem(03) vítima de uma descarga elétrica no povoado de Salito, zona rural de Luzilândia (a 234 km de Teresina). O incidente ocorreu por volta das 18h. 

De acordo com familiares da vítima, ele estava no campo de futebol com outros colegas quando nuvens começaram a se formar para uma chuva.

"Tava começando um preparo de chuva quando deu um trovão e logo em seguida um raio apareceu. Ele estava no meio do campo e caiu. Os outros meninos correram e ele ficou", informou a prima da vítima, Rosângela Sousa. 

Ela conta que na hora tentaram reanimá-lo. "Todos correram, pegaram ele, ia passando o carro de verduras que levou ele pra Luzilândia. Ainda chegou com sinais vitais no hospital, mas não resistiu não", lamenta. 

Todo o povoado está abalado com a tragédia. "É a primeira vez que aconteceu uma coisa dessas, está todo mundo sem acreditar ainda", completa. O corpo está sendo veleado na residência da família e vai ser enterrado na tarde desta sexta(04). 

O adolescente estudava na Escola Família Agrícola dos Cocais, em São João do Arraial, que postou no Facebook uma mensagem lamentando a tragédia.

Fonte: cidadeverde.com

 


04 / 01 / 2019 - as 13:18

Começou a valer no dia 1º de janeiro o novo salário mínimo nacional. De R$ 954, o valor passou para R$ 998, o que representa um aumento de 4,61%.

A maioria dos estados segue o valor estabelecido pelo governo federal, mas em alguns existe um piso regional, superior ao salário mínimo. Minas Gerais e Goiás foram os únicos estados que não responderam ao pedido do G1Em 2018, eles seguiram o piso do governo federal. Veja os valores atuais por estado no final da matéria.

O salário mínimo regional serve de referência, sobretudo, para os trabalhadores do setor privado que pertencem a categorias não contempladas em acordos coletivos ou convenções, como domésticas.

De acordo com informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o salário mínimo serve de referência para o rendimento de cerca de 48 milhões de trabalhadores no Brasil.

Fórmula do salário mínimo

O reajuste do salário mínimo obedece a uma fórmula que leva em consideração o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes e a variação da inflação, medida pelo INPC, do ano anterior.

Para o salário mínimo de 2019, portanto, a fórmula determina a soma do resultado do PIB de 2017 (alta de 1%) e o INPC de 2018. Como só será possível saber no início deste ano a variação do INPC de 2018, o governo usa uma previsão para propor o aumento.

Além da inflação e do resultado do PIB, no reajuste do mínimo de 2019 está embutida uma compensação pelo reajuste autorizado em 2018, de 1,81%, que ficou abaixo da inflação medida pelo INPC. Esse foi o menor aumento em 24 anos.

O ano de 2019 é o último de validade da atual fórmula de correção do mínimo, que começou a valer em 2012. O próximo presidente da República, Jair Bolsonaro, ainda não detalhou qual será sua proposta para o salário mínimo de 2020 em diante.

Veja os valores do salário mínimo por estado:

  • Acre: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Alagoas: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Amapá: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Amazonas: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Bahia: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Ceará: governo ainda não definiu se vai seguir o federal ou estabelecer um valor mais elevado.
  • Distrito Federal: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Espírito Santo: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Goiás: governo ainda não respondeu.
  • Maranhão: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Mato Grosso: governo informou ainda não ter definição.
  • Mato Grosso do Sul: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Minas Gerais: governo ainda não respondeu.
  • Pará: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Paraíba: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Paraná: o estado tem, estipulado por decreto de março de 2018, um salário mínimo regional próprio que varia entre R$ 1.247,40 e R$ 1.441. Segundo o governo, o novo decreto está em pauta e deve ser assinado em 1º de fevereiro.
  • Pernambuco: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Piauí: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Rio de Janeiro: não segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal. Ainda não foi definido o piso estadual para 2019. Vigora atualmente no estado o piso adotado em 2018, com seis faixas de rendimento, que vão de R$ 1.193,36 a R$ 3.044,78.
  • Rio Grande do Norte: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Rio Grande do Sul: tem piso regional, geralmente reajustado em março. O último reajuste foi em 2018, de R$ 1.175,15 para R$ 1.196,47.
  • Rondônia: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Roraima: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Santa Catarina: Piso estadual será definido até março. O salário mínimo regional definido para 2018 varia entre R$ 1.110 e R$ 1.271 entre as quatro faixas salariais, que vão desde agricultura até indústrias de vestuário, químicas e metalúrgicas, por exemplo.
  • São Paulo: Piso estadual para 2019 ainda será definido. O valor atual é de 1.108,38 (faixa I) e R$ 1.127,23 (faixa II).
  • Sergipe: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
  • Tocantins: governo informou que "está sendo feito um estudo" para avaliar se vai seguir valor fixado pelo decreto federal.

fonte: G1

 


04 / 01 / 2019 - as 12:32

No primeiro dia útil de 2019, quarta-feira (02), a nova diretoria da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí, composta pelos diretores Celso Barros Coelho Neto (presidente), Alynne Patrício de Almeida Santos (Vice-presidente), Leonardo Airton Pessoa Soares (Secretário-Geral), Nara Letícia de Castro Aragão Couto (Secretária Geral Adjunta) e Einstein Sepúlveda (Diretor Tesoureiro) esteve reunida para definir as ações da gestão para o triênio (2019-2021) com a presença da ouvidora geral, Élida Fabrícia Franklin. 

Por: Fernanda Almendra 

Fonte: Ascom OAB-PI 

 

 


04 / 01 / 2019 - as 11:59

Nesta quinta-feira (3), o G1recebeu uma denúncia de funcionários da empresa Limpel, que prestam serviços terceirizados em polos da Universidade Estadual do Piauí (UESPI). Os funcionários relatam que estão há três meses sem receber qualquer tipo de pagamento ou benefício.

Um funcionário do polo de Lagoa do Piauí, que preferiu não se identificar, afirmou que o reitor da universidade divulgou um vídeo no dia 30 de dezembro, onde dizia que o pagamento seria efetuado no dia seguinte, porém o pagamento não foi realizado. “O departamento financeiro da UESPI nos disse que não tinha sido repassado nada pela Fazenda”, disse.

Ainda de acordo com o funcionário, o último pagamento foi realizado em agosto de 2018, e até o momento nenhum outro repasse foi realizado. “O responsável pelas contratações está ameaçando demitir os funcionários caso ocorra uma greve”, relatam os terceirizados da Limpel do polo de Floriano, que também estão sem receber.

Por conta dos atrasos, alguns terceirizados já relataram estar passando necessidade. “Ligamos para a Limpel e eles só nos informaram que estão esperando o repasse do governo”, relata um funcionário.

A UESPI informou por nota que já recorreu à empresa responsável pelos terceirizados, sobre os atrasos nos pagamentos e que aguarda uma posição da mesma.

Em contato com a Limpel, o G1 foi informado de que somente o diretor pode comentar a denúncia, mas que ele não se encontrava na empresa no momento.

Confira a íntegra da nota da UESPI:

A Universidade Estadual do Piauí, em relação ao atraso no pagamento dos terceirizados, informa que já realizou todos os procedimentos que competem à instituição para solicitação da liberação financeira. Comunica ainda que vem mantendo contato contínuo com a Secretaria de Fazenda do Estado do Piauí, responsável direta pela liberação, a fim de agilizar a regularização da situação.

Fonte: G1PI

 


04 / 01 / 2019 - as 11:57

Pelo segundo dia seguido, a Petrobras reduziu o preço da gasolina vendida nas refinarias. Nesta sexta-feira (4), a empresa está negociando o litro do combustível a R$ 1,4537. Ontem (3) a estatal já havia reduzido o preço de R$ 1,5087 para R$ 1,4675.

As novas reduções, no entanto, ainda não chegaram nas bombas, apesar de o consumidor já conseguir encontrar o combustível mais barato em 2019. Segundo o tesoureiro do Sindicato dos Donos dos Postos de Combustíveis do Piauí, José Couto, a razão para a demora é que as distribuidoras ainda não repassaram a queda.

"Estamos esperando que as distribuidoras derrubem o preço, para podermos aplicar essa queda nas bombas. Dependemos disso. O advogado do sindicato, inclusive, já peticionou ao Ministério Público porque as distribuidoras não estão baixando o preço na mesma velocidade. Já mostramos as notas ao MP duas vezes. O problema não é com a gente", esclarece o empresário.

Couto acrescenta que o preço do etanol também influencia no valor final da gasolina. "Às vezes o preço da gasolina cai, mas o do etanol sobe. Existe uma conversa para permitir que os postos comprem etanol direto das usinas. Isso seria maravilhoso para o consumidor, porque o preço cairia muito se não tivéssemos a obrigação de comprar pelas distribuidoras", afirma.

Média em Teresina

Segundo o tesoureiro, é possível encontrar em Teresina o litro da gasolina sendo vendido a R$ 4,25, mas a média está em torno de R$ 4,30, R$ 4,35. Os valores mais altos estão, atualmente, próximos de R$ 4,49 - ainda assim, muito abaixo da máxima de 2018, que foi de R$ 4,84 nas bombas.

"A gasolina vem em queda depois das eleições. Até o diesel baixou, porque o dólar caiu e o petróleo é negociado em dólar. Esperamos que caia mais, até porque essas quedas mais recentes ainda não chegaram às bombas, mas não dá para ter certeza de nada ainda", completa Couto.

Fonte: cidadeverde.com

 


04 / 01 / 2019 - as 11:55

Há uma semana vigora portaria que proíbe a circulação de veículos automotores nas praias de Luís Correia, no litoral do Piauí. Roseane Galeno, bióloga e  diretora de Meio Ambiente do município, ressalta que a medida visa, sobretudo, a segurança dos banhistas e preservação das tartarugas marinhas. 

"A portaria é do fim do ano passado, mas as ações educativas de conscientização já vem desde 2016. A proibição é resultado de um grupo de trabalho que conta com o Ministério Público Federal e Estadual e visa dar segurança aoas banhistas e preservação do Meio Ambiente, principalmente, das tartarugas marinhas", explica Roseane Galeno. 

Ela ressalta que a recomendação do Ministério Público de proibição do tráfego de veículos vale para os quatro municípios com faixa litorânea no Piauí: Parnaíba, Luís Correia, Cajueiro da Praia e Ilha Grande e que cabe aos gestores de cada município fiscalizar o cumprimento. Nas áreas de circulação de veículos automotores a velocidade máxima permitida é de 40 km.

"No caso de Luís Correia saímos na frente em função do tamanho das orlas e demanda maior de visitantes", comenta a diretora de Meio Ambiente.

Roseana acrescenta que, em Luís Correia, a preocupação é maior devido ao período de desovas de tartarugas que coincide com o período de Carnaval e o aumento significativo do fluxo de pessoas e, consequentemente, veículos


As penalidades para quem for flagrado transitando nas praias do Piauí estão previstas no Código de Trânsito Brasileiro e na Lei de Crimes Ambientais que dispõem sobre sanções penais e administrativas. 

"As penalidades variam de acordo com a conduta dos motoristas e incluem apreensão de veículos, multas, entre outros. A fiscalização ficará por conta do Companhia Independente de Policiamento Turístico (Ciptur) até a realização de um concurso para guarda que deve sair ainda este ano", explica Galeno.

Em Luís Correia, para garantir o cumprimento da determinação, alguns acessos a praias serão fechados e a sinalização reforçada.

Fonte: cidadeverde.com 

 

 


03 / 01 / 2019 - as 17:08

Salário

O salário base varia de R$ 2.236,31 a R$ 7.373,30, de acordo com o cargo; valor da Retribuição por Titulação e carga horária, que pode ser de 20 a 40 horas semanais.

Vagas

- Direito (1)
- Língua Inglesa (1)
- Teoria e História Econômica (1)
- Doenças Infecciosas e Parasitárias (1)
- Projeto de Arquitetura e Urbanismo, Teoria e - História Urbanismo e Planejamento Urbano e Regional (1)
- Aquicultura (1)
- Clinica Médica/Bases das Práticas Médicas Internato (1)
- Psicologia Clínica Cognitvo- Comportamental e Psicodiagnóstico (1)
- Patologia Clínica e Veterinária, Fisiologia e Biofísica (1)
- Atenção Primária em Saúde (1)
- Bases da prática Médica I (1)
- Bases da prática Médica II (1)
- Habilidades Médicas (1)

Inscrições

As inscrições vão até 11 de fevereiro de 2019 e serão realizadas no Protocolo Geral da UFPI, situado no bloco SG-7 do Campus Ministro Petrônio Portella, Bairro Ininga, Teresina.  O valor da taxa varia de R$ 63 a R$ 215. 

 

 


03 / 01 / 2019 - as 16:42

Os veículos envolvidos foram modelo Astra Cor preta placa EUK-9465 Limeira do Oeste-Minas Gerais e um veículo modelo Gol de cor branca placa PAY-2341 DF-Brasília. As vítimas foram identificadas como Lucilene Nunes da Silva, Juciara Pinheiro da Conceição, Marlúcia Dias dos Santos e Gilcinei Nunes de Andrade e Rozinaldo Alves de Araújo. Momentos após a chegada no Hospital Regional Tibério Nunes, Marlúcia Dias da Conceição não resistiu aos ferimentos e veio a óbito. A vítima fatal é da cidade de Marcos Parente.

(Crédito: Reprodução/JC24horas)

Colisão entre dois veículos deixa 8 feridos em Floriano

Na manhã desta quinta-feira (03/01), uma colisão frontal entre dois veículos modelos Chevrolet Astra com placa da cidade de Brasília (DF) e um Volkswagen Gol de placa do Piauí, deixou cerca de oito pessoas feridas. O acidente aconteceu na BR-343, na localidade Papa Pombo, na zona rural de Floriano.

De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal, a colisão entre os carros foi frontal. Um dos veículos invadiu a pista contrária, ocasionando a batida de frente.

Três pessoas se feriram gravemente, eles foram identificados como R.A.A, de 42 anos, M.B.F, de 56 anos e A.I.S, de 26 anos. Duas das vítimas estavam no automóvel modelo Gol.

As vítimas foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e encaminhadas para o Hospital Regional Tibério Nunes.

 



PUBLICIDADE