14 / 11 / 2018 - as 10:40

O ministro que coordena a transição de governo e futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta quarta-feira (14) que o "martelo está batido" para a criação do "Ministério da Cidadania" no governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Em entrevista à Rádio Gaúcha, Lorenzoni explicou que a nova pasta cuidará das áreas de desenvolvimento social, direitos humanos e políticas de combate às drogas – atualmente o governo federal tem o ministério do Desenvolvimento Social e o ministério dos Direitos Humanos.

Lorenzoni declarou na entrevista que parte do Ministério do Trabalho poderá ficar com a nova estrutura, mas que o modelo será analisado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro.

"O Ministério do Trabalho ficará junto com a 'produção' ou vai para um outro ministério chamado de Cidadania, que aí tem lá o Desenvolvimento Social, os Direitos Humanos", disse o ministro.

"Esse martelo está batido... Ele vai cuidar dos direitos humanos, do desenvolvimento social e vai trazer a Senad [Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas]... E ele vem para trabalhar com recuperação de drogados", completou.

Nas discussões sobre a estrutura do novo governo, chegou a se especular a fusão das pastas de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social sob o nome de Ministério da Família, com o senador Magno Malta (PR-ES) entre os cotados para ser ministro.

A pasta do Desenvolvimento Social, por exemplo, é responsável pelo programa Bolsa Família e por outras iniciativas na área social, como os programas Progredir e Criança Feliz.

 

Fonte: G1Bolsonaro volta atrás e diz que pasta do Trabalho vai manter o status de fonteministério

Bom Dia Brasil

--:--/--:--

 

 


13 / 11 / 2018 - as 11:15

Foi abeto, por meio da Coordenadoria de Desenvolvimento Social e Lazer- CDSOL, e da Comissão Permanente de Licitações- CPL, processo de licitação para a contratação de empresa para execução de 4.202 m² de pavimentação em paralelepípedo nos Povoados Jatobazinho e Nova Irum, na zona rural do município de Jatobá do Piauí- PI.
 
Será investido quase meio milhão de reais (R$ 481.064,87).
 
A obra é um pedido do vice-prefeito Hilton Gomes, através do deputado estadual Georgiano Neto (PSD). Há anos os moradores sonham com a obra, pois o povoado nasceu organizado por ruas e é muita poeira no período seco e lama no período chuvoso.  
 
Hilton conseguiu recentemente um veículo modelo Mitsubishi L-200 para a secretaria municipal de saúde, que já foi entregue ao município, e uma Van com 17 lugares, também para a saúde, que se encontra em processo de formalização para ser entregue.
 
Fonte Portal Campo Maior em Foco

06 / 11 / 2018 - as 11:46

Na primeira visita do presidente eleito Jair Bolsonaro a Brasília, sua participação em evento sobre os 30 anos da Constituição lotou o Congresso na manhã desta terça-feira, dia 6 As sessões solenes, como a que ocorre nesta manhã, raramente registram um grande número de parlamentares na Casa. Nesta terça, porém, tanto deputados e senadores da base quanto da oposição participam do evento.

A sessão estava marcada para ter início as 10h, mas desde 9h autoridades começaram a chegar no prédio. A imprensa, que normalmente tem trânsito livre no local, teve a circulação limitada a alguns espaços e é acompanhada de perto pelos seguranças.

Bolsonaro chegou pouco antes das 10h ao Congresso e não conversou com os jornalistas. Foi direto ao gabinete do presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), onde se reuniu também com o presidente Michel Temer e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). 

A chegada de Bolsonaro ao Congresso cercada por um forte esquema de segurança, bem diferente de meses atrás, quando o deputado em sétimo mandato passava despercebido pela maioria. Durante as votações, era comum ver o parlamentar, agora presidente eleito, sentado no plenário ao lado de seu filho, o também deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). 

Considerado por Bolsonaro o seu "Posto Ipiranga" na economia, o economista e futuro ministro Paulo Guedes também participa da sessão no Congresso. Diferentemente do presidente eleito, que se sentou na mesa diretora, Guedes se sentou em uma das cadeiras no plenário, ao lado de deputados e senadores com quem terá de negociar a votação de suas propostas para a economia.

O relator da reforma tributária, deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), inclusive, aproveitou o início da sessão para puxar assunto com o futuro ministro da Economia. Hauly foi até o economista para tentar agendar uma nova reunião para falar sobre a reforma.

Fonte: Estadão Conteúdo

 

 


28 / 10 / 2018 - as 19:11

Jair Bolsonaro venceu as eleições para Presidente do Brasil neste domingo(28). O Deputado Federal do PSL venceu o candidato petista Fernando Haddad (PT), com 55,7 das urnas apuradas.
 

28 / 10 / 2018 - as 17:54

Mais uma vez a Rádio Meio Norte de Campo Maior deu um show de cobertura de transmissão, durante o segundo turno das eleições. 
 
A programação começou cedo, desde as 8h da manhã, a equipe formada por Pedro Borges, Káttia Rodrigues, Girleudo Silva, Marcelo Costa, Luizinho Ribeiro, Otávio Neto, Camila Pereira, Jonhy Gomes e Paçoca, trouxeram informações de todas as partes do país. Durante a transmissão, a equipe recebeu a visita do jornalista Wesley Paz, que também participou do bate-papo.
 
Nosso objetivo é deixar sempre o nosso ouvinte bem informado. Nossos correspondentes trouxeram notícias de vários municípios que fazem parte aqui da região dos carnaubais", disse Pedro Borges.
 
 
 

28 / 10 / 2018 - as 11:21

 
Nas mais alta tranquilidade os eleitores de Campo Maior e região estão fazendo um papel de  verdadeiros cidadãos. As filas desapareceram já que o tempo para votar caiu muito em relação ao primeiro turno.
O Comandante Maj. Etevaldo foi entrevista ao vivo pela Rádio Meio Norte de Campo Maior e confirmou a paz entre os eleitores de Haddad e Bolsonaro. "Recebi apenas uma ligação que um supermercado estava vendendo bebida alcóolica e fomos até lá. Falamos com o proprietário e rapidamente todos entenderam", afirma Major.

22 / 10 / 2018 - as 13:57

O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) tem 57% das intenções de votos válidos contra 43% de Fernando Haddad (PT), mostra pesquisa do instituto MDA encomendada pela CNT (Confederação Nacional do Transporte).

A pesquisa ouviu 2.002 pessoas em 20 e 21 de outubro, em 137 municípios de 25 unidades da federação. Ela está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-00346/2018 e tem nível de confiança de 95%.

FONTE PORTAL UOL


22 / 10 / 2018 - as 09:54

BRASÍLIA — Três ministros do Supremo consideraram extremamente grave a declaração do deputado Eduardo Bolsonaro .

Um deles lembrou que, para fechar o Supremo Tribunal Federal, “o que nem a ditadura tentou”, será preciso “antes disso revogar a Constituição”. Eles preferiram falar sem serem citados porque a decisão tomada é a de que o STF fale por uma única voz - do presidente Dias Toffoli, que estava em um congresso em Veneza, ou do decano Celso de Mello.

Dias Toffoli ainda não se pronunciou, mais de 24 horas depois de o vídeo do deputado irromper nas redes sociais. O presidente da Corte " não quis botar mais lenha na fogueira", disse um assessor direto ao colunista do GLOBO Lauro Jardim.

O decano Celso de Mello classificou a afirmação como "inconsequente e golpista" em nota enviada por escrito ao jornal "Folha de S. Paulo". O ministro ressaltou na mensagem que a votação recorde do deputado - o mais votado da História do país - não legitima "investidas contra a ordem político-jurídica".

"Essa declaração, além de inconsequente e golpista, mostra bem o tipo (irresponsável) de parlamentar cuja atuação no Congresso Nacional, mantida essa inaceitável visão autoritária, só comprometerá a integridade da ordem democrática e o respeito indeclinável que se deve ter pela supremacia da Constituição da República!!!! Votações expressivas do eleitorado não legitimam investidas contra a ordem político-jurídica fundada no texto da Constituição! Sem que se respeitem a Constituição e as leis da República, a liberdade e os direitos básicos do cidadão restarão atingidos em sua essência pela opressão do arbítrio daqueles que insistem em transgredir os signos que consagram, em nosso sistema político, os princípios inerentes ao Estado democrático de Direitos", destacou o decano Celso de Mello.

Fonte: o Globo

 



PUBLICIDADE