23 / 06 / 2015 - as 08:33

A Coreia do Sul anunciou hoje (23) três novos casos de Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers), elevando para 175 o número de pessoas infectadas desde que foi diagnosticado, em 20 de maio, o primeiro doente no país asiático.

O número de mortos devido ao novo coronavírus mantém-se em 27, informou o Ministério da Saúde de Seul em comunicado.

Um total de 54 dos 175 infectados com o vírus já se recuperou totalmente e teve alta.

O número de pessoas em quarentena foi reduzido hoje para 2.805, mil a menos do que nessa segunda-feira, cita a Agência Efe.

A taxa de mortalidade do coronavírus na Coreia do Sul está atualmente em 15,4%.

Mais de 90% dos mortos eram pessoas de idade avançada ou sofriam de graves problemas de saúde antes de contrair o vírus.

A Coreia do Sul é, depois da Arábia Saudita, o país com mais casos da doença, que tem 1.200 registros no mundo.

Fonte: Agência Brasil


23 / 06 / 2015 - as 08:32

O Banco Central Europeu (BCE) voltou hoje (23) a elevar a liquidez de urgência aos bancos gregos, disse uma fonte financeira grega à agência de notícias francesa AFP.

O montante do aumento de liquidez não foi divulgado. Desde a quarta-feira passada (17), é a quarta-vez que a instituição liderada por Mário Draghi atua para resolver os problemas de liquidez bancária grega, com levantamentos em massa de dinheiro pelos cidadãos, preocupados com uma eventual saída do euro.

A decisão do BCE ocorre um dia depois de o Conselho Europeu Extraordinário de Bruxelas ter adiado a celebração de um acordo quanto às reformas a serem adotadas pela Grécia, de modo a garantir o financiamento e evitar entrar em default (inadimplência)

O comissário europeu dos Assuntos Econômicos, Pierre Moscovici, mostrou-se hoje “convencido” de que vai ser possível alcançar esta semana um acordo com o governo de Atenas sobre as reformas a serem executadas para assegurar o financiamento do país.

“Estou convencido de que vamos obter um acordo”, disse ele, uma reunião de cúpula nessa segunda-feira (22)à noite sobre uma saída para a crise na Grécia.

Fonte: Agência Brasil


23 / 06 / 2015 - as 08:30

A ameaça para a saúde humana representada pelas alterações climáticas é tão importante que pode comprometer os avanços conseguidos no último meio século, alerta estudo divulgado hoje (23) pela revista The Lancet.

Os autores do trabalho, cientistas europeus e chineses, consideram que “o risco potencial” do aquecimento do planeta para a saúde dos seres humanos tem sido subestimado.

“As alterações climáticas constituem emergência médica e, portanto, requerem resposta urgente”, afirmou Hugh Montgomery, diretor do Instituto para a Saúde Humana do University College London (UCL).

O documento diz que o impacto direto das alterações climáticas na saúde das pessoas resulta da maior frequência e intensidade de eventos meteorológicos extremos, como ondas de calor, inundações, secas e tempestades.

As alterações climáticas têm também consequências indiretas para os seres humanos, como mudanças nos padrões de propagação de doenças infecciosas, aumento da poluição atmosférica, insegurança alimentar e má nutrição.

“As alterações climáticas têm o potencial de reverter as melhorias verificadas na saúde que o desenvolvimento econômico conseguiu nas últimas décadas”, disse Anthony Costello, responsável pelo Instituto para a Saúde Global do UCL.

Fonte: Agência Brasil


22 / 06 / 2015 - as 10:06

O ataque dos talibãs contra o Parlamento afegão terminou hoje (22) com a morte de sete rebeldes, em uma ação que causou pelo menos 18 mortos civis, mas nenhum deputado, disse fonte governamental.

O porta-voz da polícia de Cabul, Ebadullah Karimi, disse que seis pessoas morreram poucos minutos depois de iniciada a operação e que a área estava sob controle das forças de segurança afegãs.

De acordo com mensagem do porta-voz do ministério do Interior afegão, Sediq Sediqqi, na rede social Twitter, morreram sete talibãs na operação das forças de segurança e não foram registradas vítimas entre os deputados.

Karimi disse ainda que não houve vítimas entre os militares e policiais afegãos.

Vários incidentes  ocorridos durante o ataque deveram-se à explosão de um depósito de munição das forças de segurança afegãs, que se encontra no edifício do Parlamento.

O porta-voz do Ministério da Saúde Pública, Ismail Kawusi, disse que 18 civis ficaram feridos no ataque, tendo sido levados para o hospital Istiqlal, próximo ao Parlamento.

A Câmara Baixa do Parlamento afegão devia debater, na sessão de hoje, a nomeação de Masum Stanekzai para novo ministro da Defesa, o que deve ser ratificado pelos deputados.

Na primavera, os talibãs lançam habitualmente uma grande ofensiva, visando a diversos alvos. Em maio, foram registrados vários ataques contra pensões em Cabul, nos quais morreram cerca de 24 pessoas, incluindo estrangeiros.

Fonte: Agência Brasil


22 / 06 / 2015 - as 10:02

As companhias estatais Petróleos da Venezuela (Pdvsa) e Rosneft de Rússia chegaram a um acordo para criar uma empresa para o desenvolvimento de infraestruturas para os setores do petróleo e gás, anunciou hoje a venezuelana Pdvsa.

"O presidente da Pdvsa, Eulógio Del Pino e o seu homólogo da Rosneft, Igor Sechin, assinaram diversos acordos (...) entre os quais um Plano Estratégico de Investimentos em Petróleo e Gás que estabelece os princípios para a constituição de uma empresa dedicada à construção e operação de infraestruturas para a produção de gás natural", diz um comunicado da Pdvsa.

O documento explica que ambas empresas vão "desenvolver uma nova infraestrutura para o melhoramento" de empresas da Faixa Petrolífera de Orinoco e executar um projeto de expansão para produzir 145 mil barris diários de petróleo extrapesado.

O projeto deverá estar concluído até ao primeiro trimestre de 2016 e ambas as empresas vão perfurar conjuntamente jazidas de petróleo e oferecer serviços petrolíferos e de engenharia para outras empresas do setor.

Segundo a Pdvsa os acordos foram assinados em São Petersburgo, na quinta-feira passada. O documento não cita os valores do investimento.

Fonte: Agência Brasil


15 / 06 / 2015 - as 09:06

Um tribunal sul-africano emitiu uma ordem judicial neste domingo (14) que impede o presidente do Sudão, Omar al-Bashir, de deixar a África do Sul, onde participa de uma reunião da União Africana, até que o juiz aprecie um mandado de prisão internacional emitido contra ele.

Bashir é alvo de um mandado de prisão do Tribunal Penal Internacional sob a acusação de crimes de guerra e crimes contra a humanidade pelas atrocidades cometidas no conflito do Darfur.

O juiz Hans Fabricuis disse que se Bashir for autorizado a deixar o país, a reputação da África do Sul seria prejudicada, informou a imprensa local. A audiência deve ser retomada mais tarde neste domingo.

"Estamos felizes de estar aqui. Não há problema", disse uma autoridade sudanesa à Reuters na reunião, onde Bashir foi visto mais cedo.

O TPI instou as autoridades sul-africanas a deter Bashir. Uma declaração emitida pelo tribunal em Haia pediu a Pretória para "não poupar esforços no sentido de garantir a execução dos mandados de prisão".

O documento diz que os membros do tribunal tem "profunda preocupação" com as consequências negativas se um Estado membro não conseguir contribuir com a detenção de Bashir, que foi indiciado mais de uma década atrás.

Mas prendê-lo na África do Sul parece improvável porque o governo do presidente Jacob Zuma deu imunidade a qualquer líder ou representante que esteja participando da cúpula africana.

O Congresso Nacional Africano, partido de situação na África do Sul, disse que o TPI “não é mais útil para os propósitos para os quais ele foi criado”. O partido também pediu uma revisão dos estatutos do tribunal para torna-los aplicáveis a todos os membros das Nações Unidas, garantindo “uma corte justa e independente para justiça universal e equitativa”. A declaração ocorreu em meio a acusações de vários países africanos de justiça seletiva por parte do TPI.

Fonte: G1

 


05 / 06 / 2015 - as 13:28

Uma corte paquistanesa libertou oito dos 10 acusados de realizar o ataque a ativista Malala Yousafzai, informou a polícia nesta sexta-feira (5). 
Salim Khan, autoridade da polícia local, disse que oito dos dez homens foram colocados em liberdade porque não havia evidências suficientes para conectá-los ao ataque de 2012. A polícia havia dito em abril que os dez homens haviam sido condenados à prisão perpétua em um julgamento à portas fechadas.

O promotor público Sayed Naeem disse que apenas dois dos acusados foram condenados à prisão perpétua e disse que repórteres escreveram errado o que ele havia dito em abril, quando anunciou a sentença para os dez acusados.

“Durante o julgamento, todas as 10 pessoas admitiram e confessaram seu papel no ataque a Malala diante do juiz do tribunal antiterrorismo. Mas só dois deles, Izhar Khan e Israrullah Khan, foram condenados, enquanto os oito restantes foram libertados em 30 de abril de 2015”, disse Naeem.

Em outubro de 2012, a jovem militante pelo direito à educação foi alvo de um atentado dos talibãs paquistaneses  quando retornava da escola em sua cidade natal de Mingora, na região noroeste do Paquistão. Por milagre, o tiro não matou a jovem.

Em estado de coma, Malala foi levada para um hospital de Birmingham, na Grã-Bretanha, onde recuperou a consciência seis dias depois. Malala Yusafzai tornou-se ativista pelos direitos das crianças à educação e foi vencedora do Nobel da paz de 2014.

Fonte: G1.

 


03 / 06 / 2015 - as 10:36

As equipes de resgate prosseguiam nesta quarta-feira (3) com as buscas aos passageiros do cruzeiro que naufragou no rio Yangtsé, região central da China, com mais de 450 pessoas a bordo, mas as esperanças de encontrar sobreviventes são mínimas.

Mais de 35 horas depois da tragédia, o balanço de vítimas permanece em 18 mortos, alguns deles encontrados a 50 quilômetros do local do acidente, e 14 sobreviventes resgatados.

A busca de corpos será ampliada até a cidade de Wuhan (centro), 220 km ao sul, anunciaram as autoridades No local do naufrágio, sob uma forte chuva, as equipes de resgate, com o apoio de 100 mergulhadores, trabalham no casco do "Dongfangzhixing" ("Estrela do Oriente"), que afundou a 15 metros de profundidade.

"Espero um milagre", declarou na cidade de Chongqing o filho de um homem que trabalhava há 10 anos no cruzeiro. O balanço de vítimas deve ser muito grande porque a muitos passageiros eram aposentados.

O navio afundou em menos de dois minutos na segunda-feira (1) à noite, depois de ser atingido por uma tempestade. No total, 456 pessoas estavam a bordo, segundo um número atualizado que inclui os passageiros e os integrantes da tripulação, mas que não menciona estrangeiros.

Nesta terça-feira, as equipes de resgate cortaram o casco da embarcação e resgataram três pessoas, segundo a agência oficiala Xinhua. À espera dos resultados da investigação, o ministério dos Transportes informou que o navio, com capacidade total para 534 pessoas, não estava sobrecarregado.

Pouco antes do acidente "a chuva atingiu o lado direito do navio e entrou em várias cabines", afirmou Zhang Hui, um dos sobreviventes. O capitão e o engenheiro chefe do cruzeiro, que foram resgatados, afirmaram que o navio foi atingido por um "tornado". Os dois foram detidos.

Nas redes sociais, os internautas questionam se os dois homens não teriam abandonado a embarcação e os passageiros.
O navio viajava entre duas antigas capitais chinesas, Nankin (leste) e Chongqing (centro). O naufrágio aconteceu na região de Jianli (província de Hubei).

No hospital da cidade vizinha de Jinali, as famílias das vítimas tentavam obter notícias dos parentes. "Enquanto existir esperança, vamos dar 100%, sem abandonar o local", afirmou o ministro dos Transportes, Yang Chuantang.

Os mergulhadores enfrentam as fortes correntes e uma ausência quase total de visibilidade. A China iniciou uma grande operação de resgate supervisionada pelo primeiro-ministro Li Keqiang. As autoridades diminuíram a intensidade das turbinas da famosa represa das Três Gargantas, situada em uma região acima do Yangtsé, o maior rio da Ásia (6.300 km), para facilitar as operações de resgate.

Fonte: G1.

 



PUBLICIDADE