01 / 12 / 2017 - as 14:55
COCAL DE TELHA: Lavrador tem sua moto apreendida pela PRF e ao regularizar não consegue recuperar

Homem tem seu transporte recolhido pela PRF e ao regularizar descobre que sua moto já estaria no pátio para leilão em Parnaíba.

Em entrevista ao Jornal Regional da radio Meio Norte, aconteceu um caso inusitado. Segundo o senhor Raimundo Inácio, 52 anos, Lavrador, em uma operação da Polícia Rodoviária Federal na quinta feira (23) na BR 343 no centro da cidade de Cocal de Telha, sua moto foi apreendida e levada pela PRF, após isso começou um grande transtorno na vida do Lavrador.

 De acordo com o proprietário da moto Bros da cor amarela, ao ser levado seu transporte ele inicio um processo de regularização da motocicleta e ao concluir toda regularização descobriu que não estaria onde deveria estar que seria na Ciretran de Piripiri com á Polícia Rodoviária Federal da cidade, mas ao chegar lá ele recebeu a notícia de quer a moto não estaria lá e foi instruído a procurar na cidade de Campo Maior, onde novamente não foi encontrada e dai começou uma grande batalha do proprietário a procura do seu bem.

O lavrador relata que depois de muito procurar a encontrou em um deposito. “O que mais me revolta é que a minha moto está em um depósito de uma empresa particular de Leilões de veículos. Onde ainda tenho que pagar um valor pelos dias que o veículo ficará no depósito e pagar ainda um valor pelo guincho. O guincho usado para transporte da moto é de propriedade da própria PRF conforme registro durante a apreensão”, disse o proprietário.

Na oportunidade o advogado Dr. Nycollas Pereira o caso é inusitado levando em consideração o zelo e competência da PRF. “A apreensão do veículo foi a única coisa que foi regular nesta história e apartir daí cabe ação judicial para reparação de danos morais e patrimoniais”, relatou o advogado

O secretário de Assistência Social de Cocal de Telha Rodrigo Ibiapina se pronunciou também a respeito do caso. “É perfeitamente possível uma reparação por perca e danos. Tanto dano moral que seu Raimundo é lavrador e depende de seu transporte para trabalhar e de uso de sua família. E após o recolhimento da moto ele passou à semana inteira a procura da moto e não a encontrava, com isso ele passou um constrangimento que não é normal uma pessoa médio passar”, declarou o secretário.

Fotos Marcelo Barros

Redação Portalfato



   



PUBLICIDADE