28 / 07 / 2018 - as 18:47

Por  Pedro Borges

Campo Maior - Piauí

Uma das principais cadeias produtivas do Piauí é a do mel. A região de Picos consegue a 2ª  maior marca  exportadora do Brasil.  Uma das empresas que compõem esse cenário em pleno sertão do Nordeste também compra parte do mel produzido na região de Campo Maior.  Quem confirma essas informações é o Presidente da APICAM  (Associação dos Apicultores de Campo Maior), Edilson dos Santos Silva, Edilson da Vargem, como é mais conhecido.  Ele afirma que o grande problema no passado era a falta de cursos que facilitassem a produção e segundo ele isso foi resolvido através dos parceiros como  Codevasf, Senar e Sebrae.  “Hoje estamos tentando  melhorar ainda mais a estrutura da APICAM com equipamentos,  transporte e a aquisição de 586 novas  colmeias. Nós estamos conseguindo e demos um salto agora grande através do recurso disponibilizado pela Fundação Banco do Brasil que possibilitou a compra de um caminhão e centenas de colmeias”, afirma  o Presidente.

Hoje na região dos carnaubais trabalham diretamente na produção do mel  160 Apicultores gerando renda e fortalecendo a economia local. Todos eles investem no negócio e pagam em torno de 10% do faturamento para os proprietários das fazendas, nas quais, são instalados os apiários.

Elton Araújo é um desses empreendedores que acreditam nesse negócio e por isso, sempre busca qualificação para aumentar a produção e obter um mel de qualidade. Ele se dedica a apicultura a 16 anos e hoje repassa as informações e mostra o manejo com as abelhas ao filho Pedro Araújo. “Criei minha própria marca e comercializo o produto em mercadinhos e padarias da nossa região mostrando que o mel de Campo Maior é um dos melhores do Brasil”, afirma Elton.

O mel não é o único produto dessa cadeia e os produtores apresentam o pólen, uma espécie de alimento das próprias abelhas durante o período de estiagem e que faz parte do alimento humano, tem ainda o própolis e a própria toxina, que é expelida pelo ferrão da abelha, comercializada junto aos laboratórios farmacêuticos.  

 

AS MULHERES DE CAMPO MAIOR COMEÇAM A DESCOBRIR QUE O MEL PODE SER RENTÁVEL

As guardiãs das abelhas começam a despontar num meio considerado só para homens. Muitas estão buscando informações em cursos, seminários, palestras até mesmo em outros Estados. Hoje fazem parte desse grande grupo as Apicultoras: Samara Oliveira, Simone, Ana Kelly, Dona Elieuza e Dona Benta, uma das mais experientes.

Samara Oliveira é uma das mais empolgadas com esse novo ofício que escolheu para sua vida profissional.  Ela é Secretária de uma das Advogadas mais conhecida de Campo Maior, porém costuma se distanciar dos processos que precisa organizar e parte direto para os apiários instalados em uma das fazendas do Povoado Bom Lugar, Campo Maior. Ela recebe instruções de professores durante os cursos e a nível local ela costuma pedir informações aos mais experientes. Mas também se arrisca a dá algumas dicas importantes, as quais,  absorvidas em cursos que participou em Picos e em outros Estados. “É de fundamental importância as mulheres participarem desse tipo de atividades e apreendemos bem cedo que a preservação é o ponto de partida e a partir daí colher os frutos que elas puderem nos proporcionar. Nós estamos sendo incentivadas por outras mulheres de outros Estados e estamos obtendo forças para atrair mais mulheres aqui da nossa região para a Apicultura”, afirma Samara.

Ela explica que a barreira mais difícil de ser quebrada ainda é o machismo encontrado nessa cadeia produtiva onde essa atividade seria uma reserva apenas para os homens e segundo ela isso é coisa do passado. “Nós estamos provando que pudemos superar esses limites impostos nas décadas passadas e acho que temos como contribuir e muito com esse negócio lucrativo”, afirma Samara.

Samara explica também que existe uma ramificação muito forte dentro da Apicultura atual com a implementação da Meliponicultura, ou seja, a criação de abelha sem ferrão e que não precisa ser criadas, apenas nas fazendas longe de casa.  “Essas abelhas não ameaçam as pessoas. Elas não tem aquela agressividades das que todos conhecem e podem ser, sim aliadas dessa nova realidade.”, afirma Samara

As mulheres também estão de olho em outro tipo de mercado,  mais rentável do que vender o mel e os produtos derivados a preço mínimo e direcionar parte da produção para a indústria de cosméticos para a fabricação de shampoos e cremes.

 

ECONOMIA FRACA DERRUBA O PREÇO DO MEL EM TODO O BRASIL

 

Não poderia ser diferente. Com uma economia caindo pelas tabelas os Apicultores reclamam que o mercado derrubou a cotação do mel em todos os Estados. O Presidente da APICAM Edilson da Vargem explica que o mel de Campo Maior é vendido para o comprador que colocar o maior preço. Mas nesse momento segundo ele o mel está sendo repassado para uma grande empresa de Picos à R$ 6,80 o quilo. “ Lembro que em 2017 chegamos a vender a R$ 12,20 o quilo, portanto é um momento de grande produção porém o preço não anima ninguém. Mas não podermos desanimar e muitos pais desses aqui que deixam o seu mel aqui no entreposto criaram os seus filhos foi com o dinheiro do mel. Portando vamos esperar por um Brasil melhor para a gente faturar mais”, afirma Edilson.

 

MEL DE CAMPO MAIOR FAZ PARTE DE GRANDE REPORTAGEM DO JORNAL MEIOR NORTE

 

A reportagem assinada pelo Repórter Lucrécio Arrais foi veiculada nesse sábado, 28 de julho, em duas páginas coloridas com o tema “PIAUÍ É O 2º EM PRODUÇÃO DE MEL”’. O Jornalista Pedro Borges foi convidado para fazer a parte de Campo Maior. A missão foi cumprida nessa quinta-feira com o auxílio dos Apicultores Elton Araújo, Pedro Araújo e Samara Oliveira. Os dados foram disponibilizados pelo Presidente da Apicam Edilson da Vargem.  


27 / 04 / 2018 - as 10:55

Quem pagar menos de 15% da fatura do cartão de crédito e cair no rotativo pagará menos juros a partir de junho. O Conselho Monetário Nacional (CMN) limitou e padronizou os juros para essa modalidade, regulamentando decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Como é atualmente?
O cliente que paga menos de 15% da fatura migra para o crédito rotativo não regular, que cobra juros mais altos. 

Quem paga a partir de 15%, mas não paga a fatura total passa para o rotativo regular, com taxas mais baixas. 

De quem cai no rotativo, os bancos ainda cobram juros de mora, multa e uma taxa punitiva não padronizada.

O que mudou?
O CMN extinguiu a diferenciação. Haverá apenas um único crédito rotativo.

O CMN também aprovou a extinção do pagamento mínimo de 15%. Isso significa que, a partir de agora, caberá às instituições a definição de um percentual mínimo de pagamento em cada fatura, de acordo com o perfil dos clientes e com a política de crédito de cada banco.

Como fica na prática?
Em caso de não pagamento da fatura total, os bancos podem cobrar 2% de multa sobre a dívida total, 1% ao mês de juros de mora e a taxa do rotativo regular, que é padronizada. Nenhuma outra taxa será permitida.

Desde o ano passado, o crédito rotativo está limitado a 30 dias. Depois desse prazo, o cliente faz uma nova operação para parcelar a dívida com a operadora do cartão. Esse prazo continua valendo e não foi mudado.

Fonte: cidadeverde.com

 

 


14 / 04 / 2018 - as 10:46

A Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 3 milhões para quem acertar as seis dezenas do concurso 2.031, que será sorteado neste sábado (14). O sorteio será realizado a partir das 20h (horário de Brasília) diretamente do Caminhão da Sorte, que está estacionado em Aimorés (MG), na Av. Raul Soares, nº 01, Centro.

Caso o ganhador decida investir todo o prêmio na Poupança da CAIXA, receberá mensalmente mais de R$ 11 mil apenas em rendimentos. As apostas podem ser feitas até uma hora antes da hora do sorteio nas lotéricas ou pelo Internet Banking CAIXA. Para isso, basta ser maior de 18 anos e titular de conta corrente no banco. O serviço funciona das 8h às 22h (horário de Brasília), exceto em dias de sorteios (quartas e sábados), quando as apostas se encerram às 19h, retornando às 21h para o concurso seguinte.

Para ter mais chances de ganhar, também é possível apostar com o Bolão CAIXA, no qual o valor da aposta é dividido pelo grupo, assim como o prêmio – em caso de acerto nas faixas de premiação. Ao ser registrada no sistema, a aposta gera um recibo de cota para cada participante que, em caso de premiação, poderá resgatar a sua parte do prêmio individualmente.


Fonte: CEF

 

 


05 / 07 / 2017 - as 10:56

Entre 2014 e 2015, o salário médio mensal caiu 3,2%, em termos reais, passando de R$ 2.561,37 para R$ 2.480,36. Considerando o período 2010-2015, porém, o salário médio mensal acumula um aumento de 6,9%. Já o total de salários e outras remunerações, que caiu 4,8 em 2015, acumula aumento de 22,0% entre 2010-2015.

Segundo o IBGE, os maiores salários médios mensais foram pagos por empresas ligadas às atividades de eletricidade e gás (R$ 6.870,31). Em segundo lugar no ranking dos maiores salários vêm as atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (R$ 4.648,91), seguido pelas empresas ligadas a organismos internacionais e outras instituições extraterritoriais (R$ 4.648,91).

As três atividades com as maiores médias salariais absorveram juntas 2,4% do total de pessoal ocupado assalariado no país. As três apresentaram salários, respectivamente, 177%, 136,5% e 87,4% acima da média.

Já os menores salários foram pagos aos trabalhadores dos setores de alojamento e alimentação (R$ 1.249,49), atividades administrativas e complementares (R$ 1.522,75) e comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (R$ 1.609,10). Estes valores representam salários, respectivamente, 49,6%, 38,6% e 35,1% abaixo da média.

O IBGE destacou que as três atividades com as menores médias salariais absorviam 32,9% do total de trabalhadores assalariados no país.

Fonte: cidadeverde.com


02 / 07 / 2017 - as 19:36

Nenhum apostador acertou o resultado do concurso 1944 da Mega-Sena, realizado neste sábado. Com isso, a estimativa do prêmio acumulado para o próximo sorteio sobe para R$ 23 milhões.

As dezenas sorteadas foram: 08-09-39-47-57-59.

A quina teve 41 acertadores, que vão receber cada um o prêmio de R$ 46.673,04. Já a quadra teve 2.879 apostas vencedoras. Cada um desses sortudos irá receber R$ 949,53.

Como jogar
A aposta mínima na Mega-Sena é de R$ 3,50 e pode ser realizada em qualquer lotérica do país. As apostas podem ser feitas nas casas lotéricas até as 19h do dia do sorteio.

Para jogar na Mega-Sena, basta marcar de 6 a 15 números dentre os 60 disponíveis no volante. Ganha quem tiver quatro, cinco ou seis acertos.

Para a aposta simples, de apenas seis números, a probabilidade de ganhar é 1 em 50 milhões, mais precisamente de 1 em 50.063.860. Já para a aposta máxima, de 15 números, com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acerto é de 1 em 10 mil.

Fonte: Época

 


25 / 11 / 2016 - as 12:46

O salário mínimo nacional deverá ser reajustado em 7,5% no ano que vem, de acordo com a previsão do relatório preliminar do Orçamento de 2017, apresentado ontem pela Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional. Caso o percentual se confirme, o valor do piso subirá de R$ 880 para R$ 945,80.

O índice de 7,5% corresponde à estimativa do governo federal para a inflação de 2016, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que servirá de base para a correção do mínimo em 2017, já que a União não deverá autorizar aumento real (ganho acima da reposição inflacionária), por conta da crise.

Caso esse percentual se confirme, o piso pago pelo INSS também subirá para R$ 945,80. Já o limite máximo dos benefícios, hoje de R$ 5.189,82, passará para R$ 5.579,06.

Esses valores, por enquanto, são preliminares. Pelas regras, o governo somente é obrigado a reajustar os benefícios previdenciários pelo INPC efetivo do ano anterior, e o índice real de 2016 será conhecido apenas no início de 2017. Na semana passada, uma pesquisa com mais de cem instituições financeiras, realizada pelo Banco Central (BC), apontou um INPC um pouco menor, de 7,38% para este ano. Mas essa projeção muda a cada semana.

O relatório também estima que as despesas do INSS terão um aumento de 10,8% no próximo ano, passando dos atuais R$ 507,8 bilhões para R$ 562,4 bilhões. A elevação das despesas previdenciárias é maior do que a prevista para os demais gastos do governo, que na peça orçamentária está limitada a 7,2% em relação ao ano anterior, já considerando o que diz a PEC dos Gastos Públicos.

Fonte: Extra


04 / 11 / 2016 - as 22:27

O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) convocou 966 piauienses que tiveram os repasses bloqueados no mês de outubro para fazerem a atualização cadastral no Bolsa Família. Eles foram identificados em um cruzamento de dados feito pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com base nas informações do Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal.

Em todo o Brasil, 13 mil beneficiários do Bolsa Família deverão atualizar seus dados no programa.

O batimento foi possível graças a um acordo de cooperação técnica firmado entre o MDSA e o TSE, para o fornecimento dos dados. “Essa parceria nos possibilitou aprimorar os mecanismos de controle do Bolsa Família, dando maior transparência ao programa. O nosso esforço é para que o benefício seja pago a quem realmente precisa”, afirma o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra.

O cruzamento de dados revelou indícios de inconsistência entre as doações eleitorais feitas por 16 mil beneficiários e a renda declarada por eles. Ao determinar o bloqueio dos repasses, o MDSA constatou que, do total verificado, cerca de 3 mil famílias já haviam tido o benefício cancelado por não se enquadrarem mais nas regras, o que reduziu o número de convocados na atualização cadastral para 13 mil. 

Segundo a coordenadora-geral de Administração de Benefícios da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania (Senarc) do MDSA, Caroline Paranayba, os benefícios foram bloqueados em todo país para que as pessoas compareçam ao setor responsável pelo Bolsa Família e pelo Cadastro Único nos municípios e esclareçam as informações.

“Os beneficiários do Bolsa Família podem fazer doações a campanhas eleitorais. O que nós queremos confirmar é se a renda que a família declarou no Cadastro Único está coerente com o valor da doação e se, de fato, a família fez a doação registrada no TSE, pois há indícios de uso indevido do CPF das famílias do programa”, explica a coordenadora.

As famílias identificadas no batimento foram notificadas por meio de mensagem no extrato de pagamento e terão seis meses para fazer a atualização cadastral. “As famílias que tiveram o benefício bloqueado devem procurar o setor responsável pelo Bolsa Família e pelo Cadastro Único na sua cidade, levar o comprovante de doação, a documentação de toda a família e pedir para atualizar o cadastro”, esclarece a coordenadora.

Se não for apresentada nenhuma justificativa nesse prazo, o benefício será cancelado. Já as famílias que não se enquadram mais nas regras do Bolsa Família serão desligadas do programa. Nos casos em que não houve doação, mas o CPF do beneficiário consta entre os doadores, é preciso comunicar o erro à gestão do Bolsa Família no município.

“No momento em que a família buscar o setor responsável pelo Bolsa Família na sua cidade, ela deve fazer uma declaração informando que não fez nenhuma doação para candidatos das eleições de 2016, de modo que essa informação vai chegar até o MDSA e nós vamos tomar as providências necessárias para repassá-la ao TSE”, acrescenta Caroline.

A legislação em vigor estabelece que apenas pessoas físicas podem fazer doações para campanhas eleitorais. Além disso, as doações devem se limitar a 10% da renda declarada pelo cidadão no ano anterior.

Fonte: AZ
 

04 / 11 / 2016 - as 11:26

A Companhia Distribuidora de Energia Elétrica do Piauí está na lista das concessionárias que serão leiloadas em 2017. O presidente Michel Temer assinou decreto de desestatização da distribuidora no dia primeiro deste mês. 

O objetivo da privatização da fornecedora de energia elétrica é expandir os investimentos a fim de reaquecer a economia e a geração de empregos. Também serão vendidas as demais concessionárias públicas administradas pela Eletrobras que funcionam em Roraima, Acre, Amazonas, Rondônia e Alagoas. 

O Banco Nacional de Desenvolvimento e Social – BNDES foi designado como responsável pela execução e pelo acompanhamento do processo de desestatização das companhias concessionárias do serviço público de distribuição de energia elétrica. 

A agência financeira deverá divulgar e prestar, no que couberem as informações concernentes exclusivamente ao processo de desestatização de que trata o Caput, inclusive para atendimento de solicitações do Conselho do Programa de parcerias de investimentos da presidência da república e dos demais poderes competentes; promover a contratação de consultoria, auditoria e outros serviços especializados necessários a execução do processo; promover a articulação com o sistema de distribuição de valores mobiliários e as bolsas de valores; selecionar e cadastrar empresas de reconhecida reputação e tradicional atuação na negociação de capital, transferência de controle acionário, venda e arrendamento de ativos e preparar a documentação dos processo de desestatização para apreciação do Tribunal de Contas da União.

Fonte: AZ



PUBLICIDADE