25 / 07 / 2019 - as 10:02

O governo federal anunciou, oficialmente, na tarde desta quarta-feira (24) a liberação de saques de contas ativas e inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e do PIS-Pasep. O anúncio aconteceu no Palácio do Planalto, em cerimônia com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

As informações passadas sobre o FGTS são as seguintes:

-  os saques do FGTS começarão em setembro
- o saque será de até R$ 500 por conta neste ano
- quem tiver conta poupança na Caixa terá o valor depositado automaticamente. No caso de não desejar retirar os recursos, é necessário informar à instituição financeira para que os valores não sacados retornem a sua conta vinculada ao FGTS.
- se o cotista tiver mais de uma conta poderá sacar até R$ 500,00 de cada uma delas

A previsão é injetar R$ 42 bilhões na economia até 2020, somente com a liberação do FGTS. A medida deve beneficiar 96 milhões de trabalhadores. Atualmente, há cerca de 260 milhões de contas ativas e inativas no FGTS. Desse total, cerca de 211 milhões (80%) têm saldo de até R$ 500.

Onde sacar

Quem não possui conta na Caixa deverá seguir o cronograma que será divulgado pelo banco. Para quem possui Cartão Cidadão, o saque pode ser feito no caixa automático. Os saques inferiores a R$ 100,00 poderão ser realizados em casas lotéricas, mediante apresentação de carteira de identidade e número do CPF. 

Mudança em 2020: saque no aniversário

O governo também explicou que, a partir do próximo ano, os saques poderão ser realizados no aniversário do trabalhador. Serão saques anuais, que, segundo a equipe econômica, vão garantir "mais autonomia ao trabalhador, que poderá contar com uma renda extra e optar pela melhor forma de utilizar o seu dinheiro depositado no FGTS”.

Essa mudança não é obrigatória. 

Para ter direito a essa modalidade, no entanto, o trabalhador não poderá efetuar o saque em caso de rescisão de contrato de trabalho. Para migrar para os saques anuais os trabalhadores terão que informar sua vontade à Caixa a partir de outubro deste ano. Caso não comunique a intenção de aderir, o trabalhador permanecerá na regra anterior. Entretanto, quem realizar a mudança, por questão de previsibilidade do fundo, só poderá retornar à modalidade anterior após dois anos a partir da data de solicitação à instituição financeira. 

O governo deixou claro que não haverá alteração alguma relacionada à multa de 40% em caso de demissão sem justa causa para quem migrar para o Saque-Aniversário. O valor da multa de 40% permanece exatamente o mesmo, independentemente de qual seja a opção de saque do trabalhador.          

O calendário do Saque-Aniversário de 2020 será divulgado pela Caixa. A partir de 2021, a liberação ocorrerá no primeiro dia do mês de aniversário do cotista até o último dia útil nos dois meses subsequentes.

Por exemplo: se a data de aniversário for dia 10 de março, o trabalhador terá de 1º de março até o último dia útil de maio para efetuar o saque. Em resumo, o cotista terá três meses para sacar seu dinheiro - o mês do seu aniversário e os dois meses seguintes. Caso o trabalhador não saque esse recurso, ele volta automaticamente para a sua conta no FGTS. 

Fonte: cidadeverde.com

 

 

 


01 / 05 / 2019 - as 15:50

A Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) realizou, nesta terça-feira (30), o 44º sorteio da Nota Piauiense. Francileide Silva Bezerra ganhou o prêmio máximo de R$ 25 mil. Já Frinny Pessoa Bastos Alencar levou R$ 10 mil. As duas ganhadoras são de Teresina.

A lista com o nome de todos os ganhadores será divulgada na quinta-feira (2). O sorteio foi realizado no estúdio instalado na Escola Fazendária, às 10h30. A transmissão é sempre ao vivo pelas páginas da Sefaz e da Nota Piauiense no Facebook.

O programa Nota Piauiense possui mais de 213 mil pessoas cadastradas. Quem quiser participar deve realizar o cadastro do CPF no site (www.sefaz.pi.gov.br/notapiauiense). É rápido e fácil, já que é composto de perguntas básicas – como endereço, telefone, além do próprio CPF. Com o cadastro feito, o consumidor pode acompanhar as notas já existentes no sistema, visualizar os bilhetes de sorteio e conferir os créditos gerados de ICMS.

 

 


01 / 05 / 2019 - as 15:48

 

No feriado do Dia do Trabalhador, celebrado nesta quarta-feira (1º), as grandes redes de supermercados de Teresina fecharão as portas. 

Hiper, Extra, Pão de Açúcar, Carvalho e demais marcas não irão funcionar, nem mesmo as unidades instaladas nos shoppings.

As lojas do Centro de Teresina e o Shopping da Cidade também ficarão fechadas, reabrindo normalmente na quinta-feira, dia 2.

Nos shoppings Teresina, Riverside e Rio Poty as lojas fecham as portas, mas os espaços de lazer permanecerão abertos. As praças de alimentação funcionarão até as 22h.

Os bancos e lotéricas também fecham nessa quarta-feira, assim como todos os serviços da administração pública. A exceção são os serviços de urgência e emergência dos hospitais e os plantões das distribuidoras de água e luz.

Fonte: cidadeverde.com 

 

 


06 / 04 / 2019 - as 11:15

Acumulado, o prêmio da Mega-Sena deste sábado (6) está estimado em R$ 32 milhões. As seis dezenas do Concurso 2.140 serão sorteadas hoje (6), às 20h, em São Paulo.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer casa lotérica do país ou pelo site de loterias da Caixa.  

A aposta mais simples custa R$ 3,50. No sorteio da última quarta-feira (3) foram sorteadas as seguintes dezenas: 14 - 23 - 29 - 41 - 57 - 58.

Fonte:Agência Brasil

 

 


16 / 02 / 2019 - as 13:34

A Piauí Fomento é uma agência de fomento a atividades econômicas e produtivas criada com o intuito de contribuir para o crescimento dos setores e regiões do Estado, constituindo-se como um instrumento de desenvolvimento estadual, não apenas na concessão de financiamentos, mas desempenhando ações em complementação e apoio à atuação governamental, para o desenvolvimento dos setores econômicos do Piauí.

O presidente da Piauí Fomento, Cézar Fortes, lembra que a agência foi criada ha 7 anos para substituir o Banco do Estado do Piauí, e trabalha, exclusivamente, com financiamento e atividades produtivas do Piauí, estimulando a realização de investimentos para a criação de emprego e renda, a modernização das estruturas produtivas, o aumento da competitividade, a redução das desigualdades sociais e regionais, o apoio ao desenvolvimento dos arranjos produtivos e a interiorização do desenvolvimento.

Cézar Fortes ressalta que, seguindo uma orientação do Governo Estadual, a agência deu início a uma nova modalidade de operação em janeiro deste ano, financiando a implantação de painéis solares para a produção e o consumo de energia limpa em locais com atividades produtivas e econômicas, sendo o município de Barra Grande, localizado em Cajueiro da Praia, no litoral piauiense, o primeiro beneficiado pelo financiamento.

“Financiamos mês passado a implantação de painéis solares para a produção e o consumo de energia limpa em uma pousada de pequeno porte em Barra Grande, que em 15 dias já estava em operação. O investimento foi de R$ 35 mil, que serão pagos ao longo de três anos. A pousada passa agora a ser geradora de energia solar ao longo do dia, e ao gerar energia, ela poderá abater o valor da energia da Cepisa consumida à noite, consequentemente, vai ter um encontro de contas do que ela gerou e gastou, e no final do mês não vai ter conta de energia para pagar”, declarou.

Cézar Fortes ressalta que a modalidade é voltada somente para atividades produtivas, sendo assim, não está disponível para imóveis residenciais, mas caso algum comerciante ou micro empreendedor tenha um sítio com tanque para criação de peixes, já pode solicitar o financiamento pela Agência de Fomento e Desenvolvimento do Piauí. A ideia, a partir de agora, é incentivar a utilização de energia solar em atividades produtivas em todo Estado.

“Nesse momento, nós estamos analisando as possibilidades de negócios que querem gerar energia e desejam ter os custos com eletricidade elétrica reduzidos. A piscicultura é outra atividade que pode ser beneficiada com a energia solar via placas fotovoltaicas, através do financiamento da Piauí Fomento”, acrescentou.

meionorte

 


20 / 01 / 2019 - as 19:29

O Banco também registrou crescimento nas operações de crédito voltadas para micro e pequenos empreendedores

Após bater a marca de 63 mil operações de crédito contratadas no ano passado, a Superintendência do Banco do Nordeste no Piauí pretende ampliar o número de empreendedores contemplado com os recursos em 2019.  De acordo com o superintendente regional, Francisco Lopes, o momento econômico vivenciado pelo país é propício para investimentos nos mais diversos setores.

“No ano passado, tivemos aplicações recordes no banco, e aqui no estado do Piauí não foi diferente. Foram mais de 63 mil operações, contemplando todos os 224 municípios. Ou seja, todos os 224 municípios receberam recursos. A expectativa para esse ano de 2019 é de números ainda maiores, porque o que se verifica dentro do contexto atual é que está havendo uma grande confiabilidade dos investidores e dos empresários no crescimento do país”, pontua o superintendente.

Para o superintendente regional do BNB, Francisco Lopes, o momento econômico é propício para investimentos ( Foto: Elias Fontenele/O Dia) 

Entre os setores mais beneficiados com os mais de R$ 2 bilhões aplicados no Piauí em 2018 estão o agronegócio e a geração de energias renováveis. Além disso, o Banco também registrou crescimento nas operações de crédito voltadas para micro e pequenos empreendedores, que receberam mais de 90% dos recursos ofertados no ano passado.

Na avaliação de Francisco Lopes, as mudanças na gestão econômica do país, anunciadas pela equipe do presidente Jair Bolsonaro, não devem interferir nos trabalhos do Banco do Nordeste. Ele pontua que, diferente de outros bancos, o 
Banco do Nordeste tem a sua atuação bem definida. “É um orçamento todo destinado a financiamento, e que é construído junto com a própria sociedade, sendo reprogramado anualmente para contemplar as atividades que não foram contempladas nos anos anteriores”, avalia o Superintendente Regional.

O Dia

 


28 / 07 / 2018 - as 18:47

Por  Pedro Borges

Campo Maior - Piauí

Uma das principais cadeias produtivas do Piauí é a do mel. A região de Picos consegue a 2ª  maior marca  exportadora do Brasil.  Uma das empresas que compõem esse cenário em pleno sertão do Nordeste também compra parte do mel produzido na região de Campo Maior.  Quem confirma essas informações é o Presidente da APICAM  (Associação dos Apicultores de Campo Maior), Edilson dos Santos Silva, Edilson da Vargem, como é mais conhecido.  Ele afirma que o grande problema no passado era a falta de cursos que facilitassem a produção e segundo ele isso foi resolvido através dos parceiros como  Codevasf, Senar e Sebrae.  “Hoje estamos tentando  melhorar ainda mais a estrutura da APICAM com equipamentos,  transporte e a aquisição de 586 novas  colmeias. Nós estamos conseguindo e demos um salto agora grande através do recurso disponibilizado pela Fundação Banco do Brasil que possibilitou a compra de um caminhão e centenas de colmeias”, afirma  o Presidente.

Hoje na região dos carnaubais trabalham diretamente na produção do mel  160 Apicultores gerando renda e fortalecendo a economia local. Todos eles investem no negócio e pagam em torno de 10% do faturamento para os proprietários das fazendas, nas quais, são instalados os apiários.

Elton Araújo é um desses empreendedores que acreditam nesse negócio e por isso, sempre busca qualificação para aumentar a produção e obter um mel de qualidade. Ele se dedica a apicultura a 16 anos e hoje repassa as informações e mostra o manejo com as abelhas ao filho Pedro Araújo. “Criei minha própria marca e comercializo o produto em mercadinhos e padarias da nossa região mostrando que o mel de Campo Maior é um dos melhores do Brasil”, afirma Elton.

O mel não é o único produto dessa cadeia e os produtores apresentam o pólen, uma espécie de alimento das próprias abelhas durante o período de estiagem e que faz parte do alimento humano, tem ainda o própolis e a própria toxina, que é expelida pelo ferrão da abelha, comercializada junto aos laboratórios farmacêuticos.  

 

AS MULHERES DE CAMPO MAIOR COMEÇAM A DESCOBRIR QUE O MEL PODE SER RENTÁVEL

As guardiãs das abelhas começam a despontar num meio considerado só para homens. Muitas estão buscando informações em cursos, seminários, palestras até mesmo em outros Estados. Hoje fazem parte desse grande grupo as Apicultoras: Samara Oliveira, Simone, Ana Kelly, Dona Elieuza e Dona Benta, uma das mais experientes.

Samara Oliveira é uma das mais empolgadas com esse novo ofício que escolheu para sua vida profissional.  Ela é Secretária de uma das Advogadas mais conhecida de Campo Maior, porém costuma se distanciar dos processos que precisa organizar e parte direto para os apiários instalados em uma das fazendas do Povoado Bom Lugar, Campo Maior. Ela recebe instruções de professores durante os cursos e a nível local ela costuma pedir informações aos mais experientes. Mas também se arrisca a dá algumas dicas importantes, as quais,  absorvidas em cursos que participou em Picos e em outros Estados. “É de fundamental importância as mulheres participarem desse tipo de atividades e apreendemos bem cedo que a preservação é o ponto de partida e a partir daí colher os frutos que elas puderem nos proporcionar. Nós estamos sendo incentivadas por outras mulheres de outros Estados e estamos obtendo forças para atrair mais mulheres aqui da nossa região para a Apicultura”, afirma Samara.

Ela explica que a barreira mais difícil de ser quebrada ainda é o machismo encontrado nessa cadeia produtiva onde essa atividade seria uma reserva apenas para os homens e segundo ela isso é coisa do passado. “Nós estamos provando que pudemos superar esses limites impostos nas décadas passadas e acho que temos como contribuir e muito com esse negócio lucrativo”, afirma Samara.

Samara explica também que existe uma ramificação muito forte dentro da Apicultura atual com a implementação da Meliponicultura, ou seja, a criação de abelha sem ferrão e que não precisa ser criadas, apenas nas fazendas longe de casa.  “Essas abelhas não ameaçam as pessoas. Elas não tem aquela agressividades das que todos conhecem e podem ser, sim aliadas dessa nova realidade.”, afirma Samara

As mulheres também estão de olho em outro tipo de mercado,  mais rentável do que vender o mel e os produtos derivados a preço mínimo e direcionar parte da produção para a indústria de cosméticos para a fabricação de shampoos e cremes.

 

ECONOMIA FRACA DERRUBA O PREÇO DO MEL EM TODO O BRASIL

 

Não poderia ser diferente. Com uma economia caindo pelas tabelas os Apicultores reclamam que o mercado derrubou a cotação do mel em todos os Estados. O Presidente da APICAM Edilson da Vargem explica que o mel de Campo Maior é vendido para o comprador que colocar o maior preço. Mas nesse momento segundo ele o mel está sendo repassado para uma grande empresa de Picos à R$ 6,80 o quilo. “ Lembro que em 2017 chegamos a vender a R$ 12,20 o quilo, portanto é um momento de grande produção porém o preço não anima ninguém. Mas não podermos desanimar e muitos pais desses aqui que deixam o seu mel aqui no entreposto criaram os seus filhos foi com o dinheiro do mel. Portando vamos esperar por um Brasil melhor para a gente faturar mais”, afirma Edilson.

 

MEL DE CAMPO MAIOR FAZ PARTE DE GRANDE REPORTAGEM DO JORNAL MEIOR NORTE

 

A reportagem assinada pelo Repórter Lucrécio Arrais foi veiculada nesse sábado, 28 de julho, em duas páginas coloridas com o tema “PIAUÍ É O 2º EM PRODUÇÃO DE MEL”’. O Jornalista Pedro Borges foi convidado para fazer a parte de Campo Maior. A missão foi cumprida nessa quinta-feira com o auxílio dos Apicultores Elton Araújo, Pedro Araújo e Samara Oliveira. Os dados foram disponibilizados pelo Presidente da Apicam Edilson da Vargem.  


27 / 04 / 2018 - as 10:55

Quem pagar menos de 15% da fatura do cartão de crédito e cair no rotativo pagará menos juros a partir de junho. O Conselho Monetário Nacional (CMN) limitou e padronizou os juros para essa modalidade, regulamentando decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Como é atualmente?
O cliente que paga menos de 15% da fatura migra para o crédito rotativo não regular, que cobra juros mais altos. 

Quem paga a partir de 15%, mas não paga a fatura total passa para o rotativo regular, com taxas mais baixas. 

De quem cai no rotativo, os bancos ainda cobram juros de mora, multa e uma taxa punitiva não padronizada.

O que mudou?
O CMN extinguiu a diferenciação. Haverá apenas um único crédito rotativo.

O CMN também aprovou a extinção do pagamento mínimo de 15%. Isso significa que, a partir de agora, caberá às instituições a definição de um percentual mínimo de pagamento em cada fatura, de acordo com o perfil dos clientes e com a política de crédito de cada banco.

Como fica na prática?
Em caso de não pagamento da fatura total, os bancos podem cobrar 2% de multa sobre a dívida total, 1% ao mês de juros de mora e a taxa do rotativo regular, que é padronizada. Nenhuma outra taxa será permitida.

Desde o ano passado, o crédito rotativo está limitado a 30 dias. Depois desse prazo, o cliente faz uma nova operação para parcelar a dívida com a operadora do cartão. Esse prazo continua valendo e não foi mudado.

Fonte: cidadeverde.com

 

 



PUBLICIDADE