05 / 07 / 2017 - as 10:56

Entre 2014 e 2015, o salário médio mensal caiu 3,2%, em termos reais, passando de R$ 2.561,37 para R$ 2.480,36. Considerando o período 2010-2015, porém, o salário médio mensal acumula um aumento de 6,9%. Já o total de salários e outras remunerações, que caiu 4,8 em 2015, acumula aumento de 22,0% entre 2010-2015.

Segundo o IBGE, os maiores salários médios mensais foram pagos por empresas ligadas às atividades de eletricidade e gás (R$ 6.870,31). Em segundo lugar no ranking dos maiores salários vêm as atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (R$ 4.648,91), seguido pelas empresas ligadas a organismos internacionais e outras instituições extraterritoriais (R$ 4.648,91).

As três atividades com as maiores médias salariais absorveram juntas 2,4% do total de pessoal ocupado assalariado no país. As três apresentaram salários, respectivamente, 177%, 136,5% e 87,4% acima da média.

Já os menores salários foram pagos aos trabalhadores dos setores de alojamento e alimentação (R$ 1.249,49), atividades administrativas e complementares (R$ 1.522,75) e comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (R$ 1.609,10). Estes valores representam salários, respectivamente, 49,6%, 38,6% e 35,1% abaixo da média.

O IBGE destacou que as três atividades com as menores médias salariais absorviam 32,9% do total de trabalhadores assalariados no país.

Fonte: cidadeverde.com


02 / 07 / 2017 - as 19:36

Nenhum apostador acertou o resultado do concurso 1944 da Mega-Sena, realizado neste sábado. Com isso, a estimativa do prêmio acumulado para o próximo sorteio sobe para R$ 23 milhões.

As dezenas sorteadas foram: 08-09-39-47-57-59.

A quina teve 41 acertadores, que vão receber cada um o prêmio de R$ 46.673,04. Já a quadra teve 2.879 apostas vencedoras. Cada um desses sortudos irá receber R$ 949,53.

Como jogar
A aposta mínima na Mega-Sena é de R$ 3,50 e pode ser realizada em qualquer lotérica do país. As apostas podem ser feitas nas casas lotéricas até as 19h do dia do sorteio.

Para jogar na Mega-Sena, basta marcar de 6 a 15 números dentre os 60 disponíveis no volante. Ganha quem tiver quatro, cinco ou seis acertos.

Para a aposta simples, de apenas seis números, a probabilidade de ganhar é 1 em 50 milhões, mais precisamente de 1 em 50.063.860. Já para a aposta máxima, de 15 números, com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acerto é de 1 em 10 mil.

Fonte: Época

 


25 / 11 / 2016 - as 12:46

O salário mínimo nacional deverá ser reajustado em 7,5% no ano que vem, de acordo com a previsão do relatório preliminar do Orçamento de 2017, apresentado ontem pela Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional. Caso o percentual se confirme, o valor do piso subirá de R$ 880 para R$ 945,80.

O índice de 7,5% corresponde à estimativa do governo federal para a inflação de 2016, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que servirá de base para a correção do mínimo em 2017, já que a União não deverá autorizar aumento real (ganho acima da reposição inflacionária), por conta da crise.

Caso esse percentual se confirme, o piso pago pelo INSS também subirá para R$ 945,80. Já o limite máximo dos benefícios, hoje de R$ 5.189,82, passará para R$ 5.579,06.

Esses valores, por enquanto, são preliminares. Pelas regras, o governo somente é obrigado a reajustar os benefícios previdenciários pelo INPC efetivo do ano anterior, e o índice real de 2016 será conhecido apenas no início de 2017. Na semana passada, uma pesquisa com mais de cem instituições financeiras, realizada pelo Banco Central (BC), apontou um INPC um pouco menor, de 7,38% para este ano. Mas essa projeção muda a cada semana.

O relatório também estima que as despesas do INSS terão um aumento de 10,8% no próximo ano, passando dos atuais R$ 507,8 bilhões para R$ 562,4 bilhões. A elevação das despesas previdenciárias é maior do que a prevista para os demais gastos do governo, que na peça orçamentária está limitada a 7,2% em relação ao ano anterior, já considerando o que diz a PEC dos Gastos Públicos.

Fonte: Extra


04 / 11 / 2016 - as 22:27

O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) convocou 966 piauienses que tiveram os repasses bloqueados no mês de outubro para fazerem a atualização cadastral no Bolsa Família. Eles foram identificados em um cruzamento de dados feito pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com base nas informações do Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal.

Em todo o Brasil, 13 mil beneficiários do Bolsa Família deverão atualizar seus dados no programa.

O batimento foi possível graças a um acordo de cooperação técnica firmado entre o MDSA e o TSE, para o fornecimento dos dados. “Essa parceria nos possibilitou aprimorar os mecanismos de controle do Bolsa Família, dando maior transparência ao programa. O nosso esforço é para que o benefício seja pago a quem realmente precisa”, afirma o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra.

O cruzamento de dados revelou indícios de inconsistência entre as doações eleitorais feitas por 16 mil beneficiários e a renda declarada por eles. Ao determinar o bloqueio dos repasses, o MDSA constatou que, do total verificado, cerca de 3 mil famílias já haviam tido o benefício cancelado por não se enquadrarem mais nas regras, o que reduziu o número de convocados na atualização cadastral para 13 mil. 

Segundo a coordenadora-geral de Administração de Benefícios da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania (Senarc) do MDSA, Caroline Paranayba, os benefícios foram bloqueados em todo país para que as pessoas compareçam ao setor responsável pelo Bolsa Família e pelo Cadastro Único nos municípios e esclareçam as informações.

“Os beneficiários do Bolsa Família podem fazer doações a campanhas eleitorais. O que nós queremos confirmar é se a renda que a família declarou no Cadastro Único está coerente com o valor da doação e se, de fato, a família fez a doação registrada no TSE, pois há indícios de uso indevido do CPF das famílias do programa”, explica a coordenadora.

As famílias identificadas no batimento foram notificadas por meio de mensagem no extrato de pagamento e terão seis meses para fazer a atualização cadastral. “As famílias que tiveram o benefício bloqueado devem procurar o setor responsável pelo Bolsa Família e pelo Cadastro Único na sua cidade, levar o comprovante de doação, a documentação de toda a família e pedir para atualizar o cadastro”, esclarece a coordenadora.

Se não for apresentada nenhuma justificativa nesse prazo, o benefício será cancelado. Já as famílias que não se enquadram mais nas regras do Bolsa Família serão desligadas do programa. Nos casos em que não houve doação, mas o CPF do beneficiário consta entre os doadores, é preciso comunicar o erro à gestão do Bolsa Família no município.

“No momento em que a família buscar o setor responsável pelo Bolsa Família na sua cidade, ela deve fazer uma declaração informando que não fez nenhuma doação para candidatos das eleições de 2016, de modo que essa informação vai chegar até o MDSA e nós vamos tomar as providências necessárias para repassá-la ao TSE”, acrescenta Caroline.

A legislação em vigor estabelece que apenas pessoas físicas podem fazer doações para campanhas eleitorais. Além disso, as doações devem se limitar a 10% da renda declarada pelo cidadão no ano anterior.

Fonte: AZ
 

04 / 11 / 2016 - as 11:26

A Companhia Distribuidora de Energia Elétrica do Piauí está na lista das concessionárias que serão leiloadas em 2017. O presidente Michel Temer assinou decreto de desestatização da distribuidora no dia primeiro deste mês. 

O objetivo da privatização da fornecedora de energia elétrica é expandir os investimentos a fim de reaquecer a economia e a geração de empregos. Também serão vendidas as demais concessionárias públicas administradas pela Eletrobras que funcionam em Roraima, Acre, Amazonas, Rondônia e Alagoas. 

O Banco Nacional de Desenvolvimento e Social – BNDES foi designado como responsável pela execução e pelo acompanhamento do processo de desestatização das companhias concessionárias do serviço público de distribuição de energia elétrica. 

A agência financeira deverá divulgar e prestar, no que couberem as informações concernentes exclusivamente ao processo de desestatização de que trata o Caput, inclusive para atendimento de solicitações do Conselho do Programa de parcerias de investimentos da presidência da república e dos demais poderes competentes; promover a contratação de consultoria, auditoria e outros serviços especializados necessários a execução do processo; promover a articulação com o sistema de distribuição de valores mobiliários e as bolsas de valores; selecionar e cadastrar empresas de reconhecida reputação e tradicional atuação na negociação de capital, transferência de controle acionário, venda e arrendamento de ativos e preparar a documentação dos processo de desestatização para apreciação do Tribunal de Contas da União.

Fonte: AZ


11 / 08 / 2016 - as 11:01

Próximo domingo (14) já é Dia dos Pais. Em Teresina, o comércio espera atingir o mesmo volume de vendas do ano passado. O fluxo de consumidores nesta semana, que antecede a data, já está notadamente maior nas ruas do Centro e nos shoppings. 

Para quem deixar para última hora,  as lojas do Centro terão horário de funcionamento especial no sábado, dia 13 de agosto: as lojas ficarão abertas das 8h às 18h. Nos shoppings, o horário permanece normal na véspera: de 10h às 22h. No domingo, o Centro ficará fechado, mas as lojas dos shoppings serão abertas 14h às 20h.

O varejo brasileiro deve movimentar R$ 4,2 bilhões em vendas relacionadas ao Dia dos Pai, segundo a Confederação Nacional do Comércio. A data está entre as seis mais importantes do calendário varejista. Para o presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado do Piauí – Sindilojas/PI, Luiz Antônio Veloso, as expectativas são boas. “Datas que remetem sentimentos são sempre boas para o comércio. Mesmo que seja apenas uma lembrancinha, as pessoas não deixam de presentear”, destacou. A pesquisa cita ainda que 59% dos filhos pretendem gastar até R$ 250,00 no presente dos pais.

Fonte: cidadeverde.com
 


01 / 08 / 2016 - as 10:45

Além do feijão, o preço do leite agora também surpreende os consumidores. A inflação semanal (IPC-S) fechou o mês de julho com alta de 0,37%, puxada, principalmente, pelo aumento nos preços desses dois produtos. No ano, o indicador sobe 4,89% e, nos últimos 12 meses, 8,37%. Veja como se comportaram alguns grupos:

Transporte: alta de 0,25% (gasolina ficou mais cara).
Saúde e cuidados pessoais: saiu de 0,68% para 0,85%.
Vestuário: de -0,15% para 0,18%.
Comunicação: de 0,15% para 0,17%.

Os preços que recuaram foram:

Alimentação: de 0,71% para 0,39%.
Educação, leitura e recreação: de 0,72% para 0,71%.
Despesas diversas: de 0,64% para 0,49%.

No setor de habitação manteve a taxa de variação de 0,14%. Alguns itens registraram aumento, outros recuo:

Mão de obra para reparos em residência (de 0,26% para 1,57%)
Tarifa de eletricidade residencial (de -1,22% para -1,88%)
Hortaliças e legumes (de -6,71% para -12,13%)
Passagem aérea (de 12,29% para 3,71%)
Alimentos para animais domésticos (de 2,79% para 1,12%)
Gasolina (de -0,88% para 0,22%)
Artigos de higiene e cuidado pessoal (de 1,20% para 2,14%)
Roupas (de -0,43% para -0,01%)
Mensalidade para internet (de 0,14% para 0,88%)

Fonte: cidadeverde.com


12 / 07 / 2016 - as 16:47

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o resultado da safra de grãos no primeiro semestre de 2016. No Piauí, as maiores perdas foram registradas na produção de milho e de soja, uma tendência que acontece em todo o país. De acordo com a Companhai Nascional de Abastecimento (Conab), as perdas representam mais de 50% da safra no Piauí. Somente na soja, a perda passou a marca de 60%, enquanto o milho ultrapassou os 30%.

A estimativa para a safra de leguminosas, cereais e oleaginosas deste ano para todo o país é de 191 milhões de toneladas. Apesar do número parecer grande, ele é 8,4% menor do que o registrado no ano passado, algo em torno de 17 milhões de toneladas a menos. A esperança é que de no próximo a colheita seja mais positiva, com a previsão de um período chuvoso melhor.

De acordo com o superintendente da Conab no Piauí, Alysson Pêgo, o órgão já está se preparando para suprir as perdas. No mês passado foi feito leilão de remoção de 2 mil toneladas para a unidade de Teresina. O objetivo é garantir o atendimento até agosto dos clientes cadastrados no programa Venda em Balcão. Com isso, o milho deve chegar no momento certo aos beneficiados.

"São mais de 90 municípios atendidos por Teresina. O planejamento é aumentar a porta de recebimento desses grãos e a quantidade de milho a ser recebida, não só pela capital, mas também pelos outros municípios que têm armazém da Conab. Também estamos negociando com o governo a abertura de alguns polos para descentralizar e levar esses produtos para todas as cadeias da agricultura do nosso estado", falou.

Fonte: G1 Pi



PUBLICIDADE