31 / 10 / 2017 - as 10:02

A morte da universitária Camilla Abreu, 21 anos, foi confirmada pelo coordenador da Delegacia de Homicídios. Sem revelar detalhes, Francisco Costa, o Baretta, diz que a jovem foi vítima de um fato criminoso. O corpo da estudante ainda não foi encontrado.

"O autor cometeu pelo menos dois crimes: assassinato e ocultação de cadáver. O crime está 99,9% elucidado. Só falta agora a conclusão do inquérito. Criamos uma linha do tempo e fomos 'fechando cada janela' para que o criminoso fosse identificado. Ele (suspeito) pode até criar um álibi, mas será totalmente rechaçado na investigação criminal que foi bem presidida pelo delegado Emerson Almeida ", disse o Baretta.

O delegado ainda não repassou detalhes sobre como ocorreu o homicídio, a motivação e onde está o corpo da adolescente. "Já temos uma noção de onde o corpo possa estar", reitera.

Equipes da Delegacia de Homicídios estão em diligência para coletar os últimos indícios do crime. A Polícia Civil deve representar pela prisão do autor (es) do assassinato nas próximas horas.

Camila Abreu desapareceu na última quarta-feira (25) após sair da faculdade com o namorado, identificado como o policial militar, Alisson Wattson. Para a família da jovem, o PM declarou que teria deixado a namorada na porta de casa. Contudo, a família afirmou que ela nunca chegou à residência.

PM foi ouvido pela Corregedoria

O coronel John Feitosa, Relações Públicas da PM, confirmou que o capitão Allisson Wattson, foi ouvido pela Corregedoria da Polícia Militar. 

"A Polícia Militar está acompanhando todo o processo da Polícia Civil e a corporação não pode agir no arrepio da lei, de forma precipitada", disse o Relações Públicas. declarou o Relações Públicas. 

O comandante-geral da Polícia Militar do Piauí, coronel Carlos Augusto, acrescenta que o PM irá responder na Justiça Comum e a processo disciplinar. Segundo o comandante, em 60 dias, se tudo for comprovado, ele poderá perder a farda. Mesmo se tratando de um militar, o comandante ressalta que não haverá corporativismo. 

"Garanto que não haverá corporativismo. É um caso gravissímo. Vamos apliicar o Código de Processo Militar e o que determina a lei será feito", frisa o comandante da PM-PI.

Fonte: cidadeverde.com

 

26 / 10 / 2017 - as 14:29

                        A investigação revelou que empresas, tendo como sócios parentes do ex-prefeito e que atuam nestas como "laranjas"

A Superintendência Regional da Polícia Federal no Piauí deflagrou na manhã de hoje, 26/10/2017, a Operação Argentum, que desarticulou organização criminosa que atuava nos Estados do Ceará, Piauí e Maranhão.

O inquérito policial foi instaurado em abril/2017 em decorrência de inspeção realizada pela Controladoria-Geral da União que constatou contratações irregulares e movimentações bancárias atípicas com recursos federais recebidos pelo município de Prata do Piauí, em dezembro de 2016, a título de precatório da complementação da União para o FUNDEF no valor aproximado de R$ 2.730.000,00 (dois milhões, setecentos e trinta mil reais), atraindo a incidência dos delitos de apropriação e/ou desvio de recursos públicos, corrupção, associação criminosa/organização criminosa e lavagem de dinheiro.

A investigação revelou que empresas, tendo como sócios parentes do ex-prefeito e que atuam nestas como “laranjas”, foram utilizadas para a ocultação de patrimônio em seu favor, em ação de lavagem de dinheiro, através da criação de uma farmácia e um posto de combustíveis.   

A ação de hoje, que conta com a participação de 110 Policiais Federais do Maranhão, Ceará e Piauí, tem como objetivo dar cumprimento a 21 mandados de busca e apreensão, 13 mandados de prisão temporária e 6 mandados de Condução Coercitiva expedidos pela 3ª Vara da Seção judiciária do Piauí, executados nas cidades de Caxias e Timon, no Maranhão, Teresina, Demerval Lobão, Prata do Piauí, Crateús, Independência, Parambú e Tamboril, no Ceará. 

Também foi determinada a apreensão de veículos de luxo, sequestro de bens e bloqueio de contas dos principais envolvidos no esquema. 

A investigação e cumprimento dos mandados foram realizados em parceria com a rede de controle, com a participação de servidores da Controladoria Geral da União, TCU (Tribunal de Contas da União) e Tribunal de Contas do Piauí  (TCE).

O nome da Operação faz alusão ao elemento químico Prata, nome da cidade beneficiada com os recursos desviados do FNDE, cujo nome em latim é Argentum.

Fonte: Portalv1


25 / 10 / 2017 - as 11:04

A ex-prefeita de Bom Jardim Lidiane Leite, conhecida como "prefeita ostentação", foi presa nesta terça-feira (24) em São Luís. Segundo Fábio dos Santos Oliveira, promotor da Comarca de Bom Jardim, a prisão da ex-prefeita atende a um pedido do Ministério Público. A investigação, segundo ele, corre em segredo de justiça.

De acordo com Oliveira, foram decretadas as prisões de Lidiane Leite e Beto Rocha, o padrinho político dela, que é considerado foragido da Justiça. Cada um deles enfrenta "de cinco a seis processos" por desvio de verbas públicas.

Segundo a determinação do juiz Raphael Leite Guedes a prisão de Lidiane Leite é domiciliar e não determina o uso de tornozeleira eletrônica. O promotor acrescenta que o pedido de prisão domiciliar foi feito no caso de Lidiane porque ela atualmente amamenta uma criança de seis meses.

"Com a denúncia, cada um deles responde de cinco a seis processos por desvio de verbas públicas só na justiça estadual, fora da justiça federal, no qual eles também respondem por outros desvios", explicou Oliveira. "Na soma de todas as ações, incluindo improbidade administrativa, nós imputamos a ele um desvio de aproximadamente R$ 20 milhões."

Ele explicou que, "por estarem respondendo por diversos crimes e para evitar o risco deles fugirem da cidade e do país, o Ministério Público pediu a prisão de Lidiane Leite e de Beto Rocha".

"A prisão da Lidiane foi convertida em prisão domiciliar em virtude dela ter uma criança de seis meses que ainda é amamentada e, conforme o artigo 318, inciso 5º do código de processo penal foi necessário decretar sua prisão domiciliar. Agora, o Beto Rocha hoje é um foragido da policia e a gente pede a colaboração de quem tiver informações para que diga onde ele está", disse o promotor Fábio dos Santos Oliveira.

Lidiane Leite foi detida em sua residência localizada no Araçagi, e levada pela Polícia Civil para a sede da Superintendência de Combate à Corrupção (Seccor), em São Luís. Ela chegou ao local acompanhada de três advogados.

A ex-prefeita não poderá ausentar-se da residência sem conhecimento e autorização da Justiça, nos termos do artigo 317 do Código de Processo Penal, sob pena de revogação da medida e restabelecimento da prisão preventiva. À Polícia, por meio da Seccor, cabe fazer a fiscalização e monitoramento da acusada.

Relembre o caso

Lidiane, que ficou conhecida como "prefeita ostentação" por exibir uma vida de luxo nas redes sociais, foi condenada em março de 2017 por improbidade administrativa e em setembro teve R$ 12 milhões bloqueados por determinação judicial. Ela foi presa no dia 28 de outubro de 2015, na sede da Polícia Federal, em São Luís, depois de passar 39 dias foragida após ter a prisão decretada pela PF por suspeita de irregularidades encontradas em contratos firmados com "empresas-fantasmas".

Após 11 dias encarcerada, ela foi solta pela Justiça sob a condição de uso de uma tornozeleira eletrônica.

 

Fonte: G1 

 


24 / 10 / 2017 - as 20:53

Os nomes dos três presos na 2ª fase da operação Escamoteamento foram divulgados em entrevista coletiva na sede da Delegacia Geral. Eles foram identificados como Raimundo Nonato Ribeiro Franco Primo e John Brendan Oliveira (membros da comissão permanente de licitação da prefeitura de Cocal) e Rodolfo Rodrigo Cardoso e Silva, sobrinho do prefeito de Cocal.

A fraude consistia na elaboração de editais com cláusulas específicas que beneficiavam empresas fantasmas do Ceará. Luana Azeredo, membro do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual, explica que as obras e serviços que deveriam ficar a cargo das empresas, na verdade, seriam realizadas pelo prefeito de Cocal.

“O Rodolfo é sobrinho do prefeito e foi mencionado e seria responsável por receber o dinheiro das obras e repassar ao prefeito. Ele foi citado na delação premiada de uma empresária. O Raimundo e John Brendam facilitariam o esquema de fraude, repassando informações privilegiadas a determinadas empresas as quais eles tinham interesse que ganhassem a licitação”, disse Azeredo.

A representante do MP conta ainda que os suspeitos lucrariam com a fraude entre 1% e 5% de um montante que ultrapassa milhões.

“Quando uma dessas empresas ganhava uma licitação no valor de R$ 100 mil, por exemplo, eles ganhavam um percentual que variava de 1% a 5%, de acordo com a posição da empresa na organização criminosa. Eram obras de R$ 350 mil, R$ 500 mil, R$ 800 mil e até R$ 1 milhão”, ressalta a promotora.

A promotora ressalta ainda que existem fortes indícios da participação do prefeito de Cocal, Rubens Vieira no esquema de fraude de processo licitatórios.”Hoje ainda não há elementos suficientes para a decretação da prisão preventiva do prefeito”, reitera.

O atual secretário de Saúde do município Jefse Rodrigues Vinute, além de dois empresários Francisco Elânio Moreira de Arruda e Lindomar Sousa Nunes são considerados foragidos, os dois da cidade de Tianguá-CE.

“Ele [Jefse ] fornecia informações privilegiadas, como quando a licitação ia ser publicada, revelava quais eram as vigências que seriam feitas, ele chegava, inclusive, a providenciar documentação dessas empresas para possibilitar a habilitação das mesmas no processo licitatório e até suspendia as licitações. Havia uma ingerência muito forte  na escolha das empresas que logravam êxito nas licitações”, conta a promotora.

O delegado geral Riedel Batista destaca que podem surgir novos suspeitos de participação nos esquemas de fraude com base no depoimento dos presos e material apreendido durante o cumprimento de mandados.

“Esperamos que com esses materiais apreendidos possam surgir novos nome dos que participam dessas fraude”, disse o delegado.

 

Formação de cartel 

A superintendente da Controladoria Geral da União (CGU) no Piauí, Érica Lobo, revelou que os investigados na 2ª fase da operação formavam um cartel especializado na fraude dos processos licitatórios realizados no município de Cocal.

“Essas empresas não tinham a intenção de realizar os serviços, nem concluir as obras, ou seja, algumas vezes realizavam uma má execução da obra; outras não executavam os serviços e superfaturavam essas obras”, explica. Érica Lobo. Ao todo 13 empresas do Estado do Ceará teriam participação na fraude.

A representante da CGU disse ainda que as empresas que ganhavam as licitações eram de fachada. Os empresários apenas emitiam nota fiscal num valor combinado entre o cartel.

“Eram várias licitações, obras e serviços. Eles restringiam o caráter competitivo da licitação, exigiam engenheiro ambiental, quando não deveria, pagamento de caução, quando não era obrigatório, isso tudo para afastar as empresas realmente interessadas em participar do processo licitatório e  deixar somente as participantes do cartel”, acrescente Erica Lobo.

O montante do total desviado ainda será apurado. Na primeira fase, as investigações apuraram que a fraude rendeu cerca de R$ 18 milhões a organização criminosa.

A investigação durou entre 2013 e 2015. A operação visa desarticular uma organização criminosa suspeita de fraude em licitações, lavagem de dinheiro e crimes contra a administração pública, e é executada pelo Ministério Público Estadual, por meio do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) com apoio da Polícia Civil, Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Militar (PM-PI), Tribunal de Contas da União (TCU) e Controladoria Geral da União (CGU).

Com informações do Cidadeverde.com


24 / 10 / 2017 - as 12:45

O campomaiorense Carlos Victor Araújo de Lima, vulgo “Arroz”, foi morto durante perseguição policial na noite de segunda-feira (23) na Cidade Ocidental, em Goiás. O jovem é acusado de participação no roubo de um carro e na fuga atirado contra uma guarnição na Polícia Militar. 

De acordo com a polícia, Arroz na companhia de outro homem teria tomado de assalto um carro modelo gol. Momentos depois de iniciada a investigação, uma equipe da Ronda Ostensiva Tática Metropolitana identificou o carro roubado em alta velocidade e iniciou a perseguição. 

“Foi dado voz de parada com sinais sonoros e luminosos, mas sem êxito. Os indivíduos empreenderam fuga. Durante o acompanhamento o condutor do veículo veio a colidir em um barranco”, informou a polícia. 

Ao descerem do carro, os dois suspeitos atiraram contra os policiais. Na troca de tiros, Victor Lima foi atingido, enquanto o segundo suspeito fugiu por um matagal. “Desceram do carro efetuando disparos contra a equipe, o que foi revidado, cessando a injusta agressão. Carlos Victor Araújo De Lima”. Arroz ainda chegou a ser socorrido por uma equipe do SAMU, mas não resistiu aos ferimentos e morreu antes de chegar ao hospital. Ele já havia sido preso em Campo Maior por roubo de celular e por trágico de drogas. 

fonte: Rotam

 


17 / 10 / 2017 - as 17:47

Nesta segunda-feira (16/10), o bacharel em direito, Roberto Elísio Coutinho, que foi flagrado através de um vídeo agredindo a sua própria mãe foi condenado a 10 anos de prisão pelos crimes de tortura, apropriação indébita e retardar a assistência à saúde da vítima, uma idosa de 84 anos.

Em todos esses crimes, a juíza da 8º Vara Criminal de São Luís, Oriana Gomes, aumentou a pena do criminoso por se tratar de tortura contra o idoso.

Roberto Elísio terá que pagar R$ 2 milhões por todos os danos causados à vítima. Ele cumprirá a pena em regime fechado no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde já estava preso de maneira provisória desde maio desse ano.

 

Em sua defesa, Roberto afirmou que tinha problemas com alcoolismo, esquizofrenia e atipicidade, mas todos os argumentos não foram aceitos pela juíza que também discordou do laudo pericial apresentado pelo denunciado de que o réu antes de ser preso deveria ser internado em uma clínica particular.

Na decisão, a magistrada determinou que a pena seja cumprida no local próprio para pessoas que detêm o curso superior e que seja dada a Roberto Elísio a oportunidade de fazer o tratamento que ele alega precisar, permitindo-lhe o acesso aos médicos e outros profissionais que necessitar, na própria Penitenciária. Da decisão judicial cabe recurso no prazo de cinco dias.

 

 


09 / 10 / 2017 - as 12:03

Uma mulher foi assassinada dentro de uma viatura da Polícia Militar pelo ex-companheiro na tarde deste sábado, 7, em Teófilo Otoni (MG). A atendente Laís Andrade Fonseca, 30, acionou a PM após localizar uma câmera escondida dentro de sua casa filmando e transmitindo imagens em tempo real dela e do filho de 8 anos. 

A câmera estava no banheiro e transmitia através de um computador localizado na laje da casa, no distrito de Pavão. Procurado, o ex-marido confessou ter instalado o equipamento por ciúme. Ele tem 34 anos de idade e, ao ser detido, foi colocado no banco traseiro da viatura, sem algemas, ao lado da ex-mulher.

Quando eram levados para a delegacia, ele sacou uma faca e a matou com um golpe no pescoço. Ele ainda desferiu dois golpes contra o próprio corpo e saltou da viatura em movimento para tentar fugir, mas acabou preso.

Revista

A vítima foi levada a um posto do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), onde já chegou sem vida. A Polícia Civil investiga o caso e pegou a versão dos PMs durante a elaboração da ocorrência.

Eles garantem que o revistaram ao fazer a detenção e que ele não estava armado. Argumentam ainda que o acusado não apresentava comportamento agressivo e, por isso, foi colocado sem algemas ao lado da vítima.

Os policiais não foram capazes de explicar como ele conseguiu a faca e o batalhão da PM de Teófilo Otoni não se manifestou oficialmente sobre o ocorrido.

Fonte: Estadão

 


09 / 10 / 2017 - as 09:42

Dois dias após registrar uma das maiores rebeliões do Estado, mais uma fuga foi registrada na Penitenciária Regional Luís Gonzaga Rebelo, em Esperantina. Desta vez, dez detentos fugiram da unidade prisional na noite desse domingo (8). 

A Secretaria Estadual de Justiça vai apurar como os presos conseguiram fugir da penitenciária. O diretor da Unidade de Administração Penitenciária da Sejus, tenente- coronel Adriano de Lucena, disse que a estrutura do presídio ficou bastante comprometida por conta da rebelião ocorrida na sexta. O governador Wellington Dias decretou situação de emergência para a recuperação estrutural da unidade prisional.

“Retiramos 110 presos que estavam no local e vamos retirar mais 30 para continuar a recuperação emergencial. Desde ontem uma equipe de engenharia se encontra na penitenciária para fazer um relatório que vai subsidiar o decreto de emergência e assim os recursos possam ser liberados para acelerar a reconstrução definitiva do presídio", informou o diretor.

Na fuga da última sexta-feira (6) 75 detentos conseguiram escapar do presídio. Destes, 30 foram recapturados no final de semana. Informações dão conta de que os presos fugiram rumo à Tutóia (MA) e Teresina. 

Um dos fugitivos da fuga de sexta-feira foi capturado neste domingo (08) em Teresina. Equipes do BOPE encontraram Anderson Rodrigo de Santos no bairro Santa Maria da Codipi, na zona Norte da capital. 

Por conta das fugas dos detentos da Penitenciária de Esperantina, as aulas das escolas públicas e particulares da cidade foram suspensas nesta segunda-feira (09). Em nota [veja abaixo], a secretária Municipal de Educação de Esperantina, Elizabete Aguiar, justificou a suspensão alegando que a cidade vive uma “onda de insegurança”. 

O delegado Dennis Sampaio esteve de plantão neste fim de semana em Esperantina e disse ao Cidadeverde.com que o clima entre os moradores de Esperantina era de “pânico”. 

“A população está muito assustada com as fugas”, disse o delegado.  

O diretor da Unidade de Administração Penitenciária da Sejus, tenente-coronel Lucena,  garante que o policiamento da Esperantina foi reforçado nesta segunda.

"Houve reforço na cidade. Hoje se encontram efetivo do batalhão aéreo, da Rone, da tropa de choque e policiais da região. Agora pela manhã, um contingente do Bope também vai se deslocar para a cidade”, garantiu o diretor. 

Fonte: cidadeverde.com

 

 



PUBLICIDADE